BLOG DO ALEX MEDEIROS

18/04/2018
A terceira temporada da Casa de Papel

A plataforma Netflix anunciou o lançamento da terceira temporada da série espanhola "A Casa de Papel" somente em 2019. 

A empresa produtora e distribuidora de filmes e séries, uma das mais importantes do setor tecnológico dos EUA, aumentou em 63% seus lucros no primeiro trimestre de 2017, somando 290 milhões de dólares.

A série produzida por Atresmedia e Vancouver, que laportou na Netflix em dezembro passado, se converteu num fenômeno mundial, sendo a série de fala não inglesa mais vista até agora.

Na Espanha a trama original do canal Antena 3 tinha episódios que duravam 70 minutos, e na Netflix foram reduzidos, transformando a primera temporada em duas, cada uma com 13 e 11 capítulos respectivamente.





18/04/2018
Júri feminino no Festival de Cannes

O júri do Festival de Cinema de Cannes, presidido pela atriz australiana Cate Blanchett, será este ano majoritariamente feminino, com cinco mulheres e quatro homens, com destaques para as presenças das atrizes Kristen Stewart e Léa Seydoux.

A diretora e roteirista americana Ava DuVernay e a cantora Khadja Nin (Burundi) completam a representação feminina.

Os quatro homens que integrarão o júri que definirá o vencedor da Palma de Ouro são o ator chinês Chang Chen e os diretores russo Andrei Zviaguintsev, canadense Denis Villeneuve e francês Robert Guédiguian.

O júri representa sete nacionalidades de cinco continentes, destaca um comunicado divulgado pela organização do Festival de Cannes, que acontecerá de 8 a 19 de maio.





18/04/2018
Nas telas, a rainha do crime

Depois que o clássico "Assassinato no Expresso Oriente" foi transportado para o cinema no final de 2017, estrelado por Johnny Deep, Michelle Pfeiffer, William Defoe e Penélope Cruz, tendo ainda o diretor Kenneth Branagh no papel do imortal detetive Hércules Poirot, um outro romance da escritora Agatha Christie vira filme também.

A Fox Film decidiu construir um universo Christie no cinema e apostou na produção de uma sequência com outro livro de sucesso daquela que é considerada a maior romancista policial, apelidada de "rainha do crime". Um novo personagem, Charles Hayward, chega às telas saindo da obra "A Casa Torta", de 1949.

Agatha Christie nasceu na Inglaterra em 1890 e morreu em 1976. Seus romances de mistério e suspense foram fundamentais para formar leitores de várias gerações. O sucesso dos livros era tanto que muitas novelas policiais foram editadas em livros de bolso, populares a partir dos anos 30 no mundo inteiro.

Tão populares quanto os livrinhos, as revistas de fotonovelas que dominaram a preferência feminina a partir dos anos 60 com a enxurrada de produções italianas da mítica Editora Lancio também exploraram os sucessos de Agatha Christie. No Brasil os títulos da Editora Vecchi eram uma "coqueluche" (na gíria da época).

A escritora conseguiu imortalizar seus personagens Hércules Poirot e Miss Marple, que investigando centenas de misteriosos crimes alcançaram a estatura midiática de Sherlock Holmes, do escritor Conan Doyle, e de Jules Maigret, de Georges Simenon. Em "A Casa Torta", Charles Hayward é um inspetor da Scotland Yard.





17/04/2018
A disputa da Chuteira de Ouro

Um dos mais tradicionais prêmios individuais do futebol mundial, a Chuteira de Ouro está sendo disputada gol a gol, ponto a ponto, por duas dezenas de artilheiros das principais ligas da Europa. Veja abaixo os dez mais da artilharia 2017-2018.

1. Mohamed Salah (39 gols - Liverpool)
2. Lionel Messi (36 gols - Barcelona)
3. Cristiano Ronaldo (34 gols - Real Madrid)
4. Harry Kane (32 gols - Tottenham)
5. Edinson Cavani (32 gols - PSG)
6. Ciro Immobile (31 gols - Lazio)
7. Robert Lewandowski (29 gols - Bayern)
8. Luis Suárez (27 gols - Barcelona)
9. Romelu Lukaku (26 gols - Manchester United)
10. Sergio Aguero (25 gols - Manchester City)





17/04/2018
FIFA investiga racismo em amistoso

A FIFA está investigando supostos gritos racistas dirigidos a jogadores franceses por torcedores russos durante o amistoso entre as duas seleções no estádio que sediará a semifinal da Copa do Mundo.

Um fotógrafo da agência Reuters que cobriu o jogo em São Petesburgo, quando a França venceu a Rússia por 3 x 1, afirmou ter ouvido torcedores chamando o jogadores francês N'Golo Kanté de "macaco".

A FIFA está coletando relatórios com testemunhos de outros fatos semelhantes em outras partidas em estádios russos. Os jogadores franceses MBappe e Pogba se manifestaram e provocaram uma reação da ministra francesa dos Esportes, Laura Flessel-Colovic, que pediu providências ao governo soviético.

A Rússia prometeu reprimir o racismo na Copa, que ocorrerá em menos de dois meses. As federações de futebol francesa e inglesa temem que o fato se repita contra seus atletas, devido ao clima político depois que os dois países se uniram aos EUA na crise da Síria, aliada da Rússia.





16/04/2018
A gênese de Milos

A mídia engajada (quase sempre simpatizante dos ismos ideológicos) muito falou da carreira do cineasta checo Milos Forman, que faleceu na última sexta-feira, aos 86 anos, num hospital de Connecticut, nos EUA. Ele ganhou duas vezes o Oscar de melhor diretor por Um Estranho no Ninho (1975) e Amadeus (1984).

Esqueceram de destacar o lado emigrante de Forman e as razões que o levaram a viver em Nova York no conturbado ano de 1968. O então jovem diretor deixou Praga por causa da ditadura comunista e da intervenção russa quando a Tchecoslováquia tentava uma reforma democrática.

Filho de pais mortos em campos de concentração durante a invasão nazista, ele foi criado por parentes e ingressou na Academia de Cinema de Praga onde começou a escrever roteiros com apenas 16 anos. Seus dois primeiros filmes, em 1965 e 1967, aborreceram o governo checo e foram indicados ao Oscar de filme estrangeiro.

Convidado pela Paramount Pictures ainda em 1967, passou uma década buscando os direitos autorais do musical Hair, e o transformou num filme referência da geração hippie. Antes, ganhou o Festival de Cannes com Procura Insaciável (1971) e Um Estranho no Ninho (1975).

Milos Forman tanto conseguiu fugir do comunismo em sua pátria, quanto soube desviar-se do engajamento que contaminou setores de Hollywood. Forjou sua brilhante carreira unindo sentimentos antagônicos como inspiração de loucura divina e sensibilidade indignada com opressão sem olhar a cor partidária.

Seus primeiros filmes são ainda hoje cultuados na Checoslováquia e países da antiga Cortina de Ferro. Seu legado é o espírito da rebelião antissoviética que se tornou onda no Leste dos anos 60/70 e uma paixão humanista que sobreviveu ao vitimismo gauche que Hollywood ergueu como doutrina disfarçada de arte.





15/04/2018
A imagem do ano passado

O repórter fotográfico venezuelano Ronaldo Schemidt recebeu sexta-feira na cidade de Amsterdam, na Holanda, o prêmio World Press Photo pela imagem que retrata um manifestante em chamas durante os protestos em maio de 2017 em Caracas contra a ditadura Maduro.

O flagrante registrou o momento em que José Victor Salazar, de 28 anos, corre com o corpo envolto em labaredas depois de ser alcançado por um jorro de gasolina proveniente de uma motocicleta da Guarda Nacional Bolivariana que minutos antes havia sido explodida por um coquetel molotov.

O rapaz, que virou uma tocha humana, usa uma máscara contra gás lacrimogêneo e corre gritando em busca de ajuda para apagar o fogo, enquanto ao fundo se destaca num grafite na parede uma pistola apontada e a palavra "paz". O fotógrafo estava de costas durante o ato e quase perde o flagrante.

Profissional a serviço da Agência France-Press (AFP), Ronaldo Schemidt trabalha habitualmente no México, onde reside, mas de vez em quando viaja até a Venezuela para visitar familiares e documentar notícias relevantes. Em maio do ano passado, foi enviado para reportar os distúrbios organizados pela oposição contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

Ele narrou à imprensa durante a entrega do prêmio que só percebeu a cena porque sentiu o calor das chamas em suas costas, aí apontou a câmera e começou a disparar sem estar ainda consciente da gravidade do que estava ocorrendo. A vítima passou correndo e caiu logo à frente, momento em que outros manifestantes chegaram e apagaram o fogo.

A foto de Schemidt disputou o World Press Photo com outras cinco imagens que retratavam o atentado de Westminster, em Londres; uma vítima do grupo terrorista Boko Haram, na Nigéria; o drama dos refugiados rohinyás, em Myanmar; e duas sobre a liberação da cidade de Mosul, que estava dominada pelo Estado Islâmico.





15/04/2018
Na reta do escândalo

Embargada pelo TCU por suspeita de irregularidades, a obra de duplicação na Reta Tabajara segue parada à espera de explicações do DNIT, que acaba de pedir mais prazo pra se explicar.

Observadores políticos sentem que isso tem cheiro de quem quer ganhar tempo para evitar que um escândalo estoure no meio da campanha eleitoral, o que poderia prejudicar reputações estaduais e federais que vão às urnas disputar o voto do povo.





13/04/2018
Disson quer abastecimento hídrico no interior

O deputado Dison Lisboa (PSD) encaminhou requerimentos ao Governo do Estado no sentido de garantir o abastecimento de água para as populações de duas comunidades do interior do Rio Grande do Norte. Para os moradores de Lagoa de Cobra, que fica em Santo Antônio, o parlamentar solicitou a extensão da rede de água encanada. Para a comunidade de Umari, localizada em Tibau do Sul, Dison pediu a perfuração de poços tubulares.

"A população da comunidade de Lagoa de Cobra enfrenta problemas recorrentes devido à irregularidade no abastecimento de água. É constante a falta desse recurso tão importante à vida", revela Dison. O deputado diz ainda que, pela alta demanda existente, a necessidade de ampliar a rede de abastecimento de água é urgente.

Em relação à providência para os problemas enfrentados pelos moradores de Umari, o parlamentar esclarece que "com a perfuração dos poços será possível captar a água das chuvas e abastecer a zona rural de todo o município de Tibau do Sul, beneficiando diretamente a comunidade", argumenta.

Justificando seu pleito, Dison Lisboa explica que as perfurações desses poços trarão "esperança e motivação" para a grande maioria da população de Umari, que tem na agropecuária de pequeno porte sua principal fonte de sobrevivência.





12/04/2018
A politicagem dos zumbis

Os petistas num todo, militantes ou simpatizantes, decidiram transformar as pitadas diárias de sectarismo ideológico numa massa compacta de fanatismo religioso. Num surto de causar espanto no mais radical dos evangélicos, começam a inserir o nome de Lula nos seus próprios nomes.

A ideia de jerico consiste em anexar o apelido do ex-presidente entre o nome e o prenome, grafando assim, por exemplo, Gleisi Lula Hoffmann, Lindbergh Lula Farias, Fátima Lula Bezerra, Fernando Lula Mineiro ou Natália Lula Bonavides. Muitos já editaram a esdrúxula mudança em seus perfis nas redes sociais.

Diante da insanidade mental que a dicotomia "coxinha x mortadela" espalhou pelo País, é de se imaginar que ativistas da extrema direita responderão à tresloucada atitude com a mesma disenteria cerebral dos petistas. Veremos em breve o nome de Bolsonaro compondo perfis republiqueta afora.

Além de Olavo Bolsonaro de Carvalho, Alexandre Bolsonaro Frota, Rachel Bolsonaro Sheherazade, José Bolsonaro Aldo e Danilo Bolsonaro Gentili, quem sabe aparecem uns mais radicais e adotem nomes assim: João Pinochet Silva, Maria Médici Souza, José Ustras Dantas ou Pedro Paranhos Fleury Rocha.





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81