BLOG DO ALEX MEDEIROS

15/06/2018
Ronaldo iguala recorde de ícones das copas

Espanha e Portugal fizeram a melhor partida da Copa da Rússia até agora e empataram por 3 x 2, com o craque português marcando três vezes, assumindo a artilharia da competição e igualando uma marca histórica de converter gols em quatro copas seguidas, um feito realizado até agora por outros três atletas.

Ronaldo agora se junta ao rei Pelé, que marcou nas copas de 1958, 1962, 1966 e 1970; ao alemão Uwe Seeler, que fez gols nas mesmas quatro copas de Pelé; e o também alemão Klose, maior artilheiro da história das copas com 16 gols, tendo marcado nos torneios de 2006, 2010, 2014 e 2018.





15/06/2018
Cinco por infinito

Na mitologia ludopédica há grandes semelhanças com a grega, a romana, a nórdica e outras tantas. Das poucas diferenças, ainda não sabemos os nomes dos deuses (devem ser doze) do futebol, que como os da antiguidade transmitem poderes mágicos e incríveis para alguns filhos prediletos.

A transmissão desses poderes e das graças divinas que compõem a mística em torno de alguns craques da bola, tem sido historiada desde 1863 pelas versões modernas de Heródoto, Tito Lívio, Políbio, Homero, Sturluson, Xenofonte, Hesíodo, Jordanes, Clitarco, todos bons jornalistas e cronistas.

Atento ao que meus olhos testemunham e às narrativas de quem viu e vê o lado clássico e a porção mágica dos grandes jogadores, vivo a pesquisar e a juntar papel, velhas revistas e amarelados jornais, na intenção de juntar os filhos legítimos dos deuses do futebol em livro. Assim, cataloguei 237 craques.

Os cinco primeiros antecipo aqui neste artigo, afirmando desde já que o quinteto já está devidamente consagrado na maioria absoluta das listas que se publicam na mídia mundial. A própria International Federation of Football History & Statistics chancela junto à FIFA. Abaixo, um pouco dos 5 eternos:

PELÉ - De cada um dos deuses do futebol ele recebeu um naco de poder, alguns em grandes doses. Ainda garoto, foi coroado rei da bola e fez do seu reinado um divisor de águas. O esporte bretão se divide em antes e depois de Pelé; quando jogava na Canarinho, o Brasil foi três vezes campeão do mundo.

MESSI - Desde 2004, quando estreou pelo time principal do Barcelona, não houve uma só semana que a imprensa do planeta inteiro não tenha publicado algo de fantástico feito pelo gênio de Rosário. As contas se perdem entre gols, dribles, 5 bolas de ouro e marcas superadas. Messi é amado pelos deuses.

CRUIJFF - Quem viu o gênio holandês jamais esquecerá. Sua arte com a bola veio à luz nos anos 60/70, em meio aos reboliços culturais que mudariam o mundo. O futebol de Cruijff também mudaria a história do futebol quando liderou um carrossel de mágicos. O estilo tiki taka do Barcelona é seu legado.

DI STEFANO - Quando Pelé ainda não reinava na superfície da Terra, o argentino naturalizado espanhol dominava os campos com um estilo que se imaginava extraterrestre. Por intermédio dos seus pés e da liderança o Real Madrid se elevou potência. Não à toa Madrid e a Catalunha brigaram por ele.

MARADONA - Um craque que virou religião, um ídolo que deu dimensões sociológicas ao fanatismo boleiro. Tornou-se uma marca como Pelé e invariavelmente irrita brasileiros vencendo o rei em pesquisas e listas da mídia europeia. Ganhou a primeira copa pra Argentina driblando até a História.





14/06/2018
Mineiro fala de Copa e jogo da democracia

O deputado Mineiro Lula (PT) chamou atenção durante sessão plenária na Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (14), para o que denominou de "jogo da democracia". Para o parlamentar, hoje começa um dos maiores eventos mundiais, a Copa do Mundo, e algumas pessoas estão em clima de depressão.

"Vivemos um clima depressivo por causa da desilusão política e situação financeira do país. Muita gente tem vergonha de vestir a camiseta amarela para não serem confundidos com os coxinhas que tiraram Lula e Dilma do poder e provocaram essa crise", disse Mineiro.

O parlamentar disse ainda que apesar do mundial, o principal jogo do Brasil não é o futebol, e sim a democracia que acontece em outubro. Segundo ele, Lula é o maior craque e não pode ficar de fora. "O Brasil foi rebaixado e precisa voltar a jogar na primeira divisão da política com Lula".





13/06/2018
Só Brasil votou no Marrocos

A CBF foi a única confederação da América do Sul que não votou na proposta da Copa 2026 ser sediada nos EUA, Canadá e México. O voto brasileiro foi feito solitariamente para o Marrocos, diferente dos demais países, que seguiram o voto da Argentina e Uruguai.





13/06/2018
Os ladrões e a cristandade

Quando presidente da República, o senhor Luiz Inácio declarou aos quatro ventos que havia pagado a dívida externa brasileira. Anos depois, já durante o desgoverno da companheira Dilma, o PT tratou de espalhar que Lula havia se tornado colunista do The New York Times. Evidente que era mentira.

Assim como mentiras foram os tantos risíveis casos inventados pela companheirada, como a inocência do chefe nos escândalos do mensalão e petrolão, a honestidade de Dilma, o golpe no impeachment, as palestras de Lula, o apoio financeiro a governos corruptos, a perseguição da imprensa.

Nos últimos meses, a senadora Gleisi Hoffmann, cega de paixão e delírio ideológico, ocupa as redes sociais em tempo integral para postar fantasias que só ela vê, como o apoio do mundo ao parceiro preso, manifestações de torcidas na Europa por sua liberdade, caos social em protesto pela prisão.

A mais recente mentira envolve o papa Francisco e o Vaticano. A presença do ativista marxista Juan Grabois em Curitiba foi logo ilustrada como uma visita representativa do chefe maior da igreja católica, que teria enviado um terço para Lula. Óbvio que a Polícia Federal não deixou o elemento entrar.

O episódio com o tal Grabois lembra o estardalhaço que há poucas semanas os petistas fizeram com a opinião isolada do argentino Adolfo Pérez Esquivel que defendeu um prêmio Nobel da Paz para Lula, honraria já recebida muito tempo atrás pelo próprio, que hoje é uma triste figura, quixotesca e folclórica.

A verdade é que o também argentino Juan Grabois é apenas um rábula e ex-assessor de um órgão católico já extinto chamado Pontifício Conselho para a Justiça e a Paz. A militância comunista o trouxe para o Brasil com a mesma finalidade do que motivou Esquivel: gerar notícia positiva para o condenado.

E já que o assunto aqui é a mentira costumeira do PT, vou utilizar a narrativa apócrifa sobre a suposta encomenda que o papa Francisco (ele mesmo um simpatizante das teorias esquerdistas) enviou para o ex-assessor entregar ao Lula. Tudo por causa de uma data de junho dedicada a dois personagens.

Manuscritos encontrados no Mar Egeu narram a viagem de um casal e um menino entre o Egito e Nazaré, e que após três dias de andança pelo deserto encontraram uma caverna e ali repousaram. Já de madrugada, dois rapazes chegam no local, estão armados e um decide roubar a família adormecida.

Dimas, com 24 anos, impede Gestas, de 27, de fazer mal às três pessoas e, pra isso, promete entregar sua adaga de Damasco e mais 20 dracmas gregas, sem antes avisar que sem acordo eles irão brigar. Quando os dois tentam adormecer, ouvem uma voz: "Dimas e Gestas, vocês morrerão comigo".

Trinta anos depois, a dupla foi condenada à crucificação por roubos, e entre suas cruzes, uma terceira foi erguida com o corpo de um jovem de 33 anos. Era o menino da caverna. Centenas de anos depois, a igreja de Roma passou a enviar um rosário para algum ladrão rezar e se arrepender dos crimes.





12/06/2018
O clube dos 1.000 gols

Nos tempos da vida analógica, a imprensa brasileira não tinha fácil acesso ou não se interessava (suspeita provável) aos fatos marcantes do futebol nos países mais distantes, como os da Europa, exceto durante as copas da FIFA ou quando equipes nacionais realizavam turnês no velho mundo.

A partir de 1969, com a marcação do milésimo gol de Pelé contra o Vasco no Maracanã, falar em tal façanha era ponto de pauta obrigatório e monotemático. Se o assunto era artilharia, o rei era o dono do foco da notícia ou das análises, apesar do fato de outros dois brasileiros terem também realizado o mesmo.

Quando Pelé era o menino Dico que sonhava jogar como Zizinho, o gênio das décadas de 40 e 50, o paulista Arthur Friedenreich já havia feito história levando o Brasil a ganhar duas copas América, em 1919 e 1922, e somado na carreira 1.329 gols. "El Tigre", jogou em vários clubes de São Paulo e Rio.

Seis anos depois do gol 1.000 de Pelé, um atacante matador esfomeado, chamado Flávio Minuano, acumulou gols jogando por Internacional, Fluminense, Corinthians, Porto de Portugal e Santos. Em 1977, aos 33 anos, deixou a Vila Belmiro e foi marcar o gol mil no Pelotas. Fez 1.070 ao todo.

Nos anos de 2006 e 2007 aconteceram dois fatos que romperam o escudo da mídia que impedia a passagem de notícias sobre outros jogadores a alcançar a marca dos mil gols: primeiro houve a morte do húngaro Puskas, depois o gol de Romário contra o Sport. A mídia, enfim, citou os mil gols de ambos.

Sete anos depois, em 2014, o goiano Tulio Maravilha marcava também de pênalti, como Pelé e Romário, o tão sonhado e perseguido milésimo gol, colocando o futebol brasileiro como único palco com 5 jogadores alcançando a marca. O nosso quinteto faz parte de um seleto clube com 14 integrantes.

Voltando aos tempos analógicos, por mais que existissem na Europa registros jornalísticos e literários sobre outros craques que superaram a marca dos mil gols (como Puskas), a mídia verde e amarela ignorava, ou então omitia dos leitores. E é preciso lembrar que ninguém tem mil gols em jogos oficiais.

Todos os quatorze nomes do clube somaram aos jogos oficiais gols feitos em partidas amistosas, festivas e beneficentes. Para a FIFA, por mais que a Federação Internacional de História & Estatísticas do Futebol registre os milhares de gols, somente os oficiais entram no seu ranking artilheiro.

Enfim, na mistura de gols legais e não ortodoxos, os cinco jogadores da foto que ilustra este artigo são os primeiros colocados no ranking não oficial: Josef Bican (Áustria, 1.468 gols), Gerd Müller (Alemanha, 1.461), Friedenreich (Brasil, 1.329), Slobodan Santrac (Sérvia, 1.301) e Pelé (Brasil, 1.281 gols).

Completam o clube, Ferenc Puskas (Hungria, 1.176), Ernest Wilmowski (Polônia, 1.175), Eusébio (Portugal, 1.137), Flávio (Brasil, 1070), Waclaw Kuchar (Rep. Checa, 1.065), Mosa Marjanovic (Sérvia, 1.018), Franz Binder (Áustria, 1.006), Romário (Brasil, 1.002) e Túlio Maravilha (Brasil, 1000).





11/06/2018
Ícones de esporte recebem medalha Marinho Chagas

No lançamento e entrega da Medalha do Mérito Esportivo Marinho Chagas, na Assembleia Legislativa, a trajetória de personalidades que abrilhantaram o futebol potiguar foi destaque na sessão solene conduzida pelo presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB). A solenidade da manhã desta segunda-feira (11), no plenário da Casa, prestigiou dez ícones do passado e do presente que comprovadamente deram relevante contribuição ao Estado.

Logo após as homenagem, foi aberta oficialmente a exposição relacionada à Copa do Mundo, do acervo do jornalista Alexandre Gurgel, que prossegue até o próximo dia 22, no Salão Nobre, com relíquias do maior evento mundial do futebol.

"A prática esportiva inspira respeito ao próximo, construindo conceitos de cidadania, com regras bem definidas, do respeitar e ser respeitado. Por tudo isso, o Rio Grande do Norte, por meio desta Casa Legislativa, sente-se honrado em agraciar ilustres personalidades do futebol e do mundo esportivo", afirmou o presidente do Legislativo do RN. O parlamentar afirmou que o Estado é celeiro de muitas personalidades que ajudaram e ajudam a tornar o esporte mais fascinante.

"O esporte é também incentivo essencial para a convivência e para abrir oportunidades para novos atletas. Além de afastar a juventude das drogas e do mundo do crime, contribui para melhor qualidade de vida e saúde. Reconhecer as pessoas que o enaltecem e incentivam a sua prática é o mínimo que devemos fazer", afirmou o deputado Ezequiel Ferreira de Souza.

Francisco das Chagas Marinho, ou Marinho Chagas, denomina a honraria, lançada hoje, por ser reconhecido como o maior nome da história do futebol potiguar. Nascido em Natal, foi lançado para o futebol pelo Riachuelo, pequeno clube da Grande Natal. Despontou no ABC Futebol Clube, de onde saiu em 1970, para vestir camisas de grandes clubes do futebol mundial, como Botafogo e Fluminense do Rio de Janeiro, São Paulo Futebol Clube e Cosmos de Nova York. Foi ganhador por três vezes como melhor lateral-esquerdo do Brasil.

O filho do craque, Marcelo Fernandes Marinho, falou em nome de todos os homenageados. "É uma imensa honra para mim poder estar nessa Casa, num momento de homenagem ao meu pai e a outros que bravamente marcaram seus nomes nas páginas da imprensa desportiva do nosso Estado", afirmou. Marcelo Marinho disse que ao criar a medalha, a Assembleia cumpria um nobre gesto de justiça e de reconhecimento para aqueles que durante décadas se dedicaram de corpo e alma ao esporte. "Finalizo agradecendo mais uma vez com o coração inundado de sentimentos de gratidão e felicidade", encerrou.





09/06/2018
Quem vai substituir Zidane?

O Real Madrid segue em busca de um técnico para ocupar a vaga aberta por Zinedine Zidane. Muitos são os candidatos, mas no máximo dois estão na condição de favoritos, de acordo com as análises e prognósticos da imprensa espanhola.

Nas avaliações de nomes, as apostas tiveram variações ao longo dos últimos dias. O primeiro na lista de interesses dos dirigentes merengues era o argentino Mauricio Pochettino, que fez grande temporada no Tottenham, tanto na Premier League quanto na Champions.

Pochettino tinha impressionado os cartolas do time espanhol nos dois confrontos pela Champions League, quando o time inglês arrancou um empate no Santiago Bernabéu e derrotou o Real em Wembley por 3 x 1. O problema é que o astuto executivo do Tottenham, Daniel Levy, amarrou Pochettino no contrato de renovação e uma cláusula liberatória complica o negócio com Madrid.

Diante disso os homens de negócio do Real Madrid partiram para um nome bastante íntimo no Bernabéu, o ex-meia espanhol Guti Hernandez, que inclusive já foi capitão do time blanco. É hoje o principal candidato a substituir Zidane, apesar de ter assinado há pouco tempo um contrato para treinar o modesto time do Murcia.

A bela temporada do Liverpool, finalista da Champions diante do próprio Real, levou a diretoria a fazer contato com o treinador alemão Jürgen Klopp, mas que também não teve avanços, assim como ocorreu com o italiano Massimiliano Allegri, técnico da Juventus de Turim.

Outros dois nomes que estavam cotados nas casas de apostas e no pensamento dos executivos do Real Madrid eram o francês Arsene Wenger, que encerrou recentemente uma longeva relação com o Arsenal de Londres, e o italiano Antonio Conte, que recusou o assédio por ter renovado com o Chelsea.

Havia ainda as alternativas como o italiano Maurizio Sarri, que estava no Nápoli e se encontra sem clube; o francês Laurent Blanc, também sem clube; o ex-craque dinamarquês Michael Laudrup (sem clube); o ex-goleiro espanhol Julen Lopetegui, atualmente numa diretoria da seleção nacional; o italiano Fabio Canavarro, ex-zagueiro do Real e hoje técnico na China.

Tantos são as opções com condições de abrir os cofres do Bernabéu, que até o técnico da Alemanha, Joachim Löw, e os já conhecidos da torcida merengue, Rafael Benitez e José Mourinho, entraram nas especulações. Algumas especulações, inclusive, tiveram origem na imprensa brasileira, já que a Globo lançou a ideia de que Tite também estava na parada.





08/06/2018
Luis Suárez quase fica fora da Copa

O craque do Uruguai e do Barcelona deu um grande  susto na torcida uruguaia e nos seus admiradores que assistiam ontem amistoso em que a seleção celeste venceu o Uzbekistão por 3 x 0 no Estádio Centenário de Montevidéu.

Depois de reciber uma dura entrada de um zagueiro, Luis Suárez teve que sair de campo com uma pancada que abriu uma ferida no tornozelo, e que levou o setor médico da seleção a temer por algo mais grave. Felizmente, a lesão não tinha gravidade e o matador vai à Copa com seu apetite de gol afiado como sempre. Suárez marcou um dos gols da vitória.





08/06/2018
Inglaterra B vence a Costa Rica

Uma das favoritas nas bolsas de apostas e na mídia a ganhar a Copa do Mundo, a seleção da Inglaterra superou ontem a Costa Rica por 2 x 0, num amistoso em que mais uma vez - como vem fazendo o treinador Gareth Southgate - contou com um time misto.

Desde o 0 x 0 contra a seleção do Brasil em novembro de 2017, quando a Inglaterra usou até juvenis na partida disputada em Wembley, que o técnico não usa força total nos amistosos. A seleção inglesa que vai à Rússia é formada por uma nova geração, com jovens substituindo estrelas como Rooney, Terry, Ashley Cole, Gerrard e Lampard.





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97