BLOG DO ALEX MEDEIROS

19/04/2018
AL quer mensagens incentivando doações de sangue

A Assembleia Legislativa está discutindo uma nova forma para incentivar a doação de sangue no Rio Grande do Norte. O deputado Gustavo Fernandes (PSDB) apresentou projeto de lei que pretende fazer com que os doadores sejam imediatamente informados quando o sangue doado for utilizado. Para o parlamentar, a medida pode contribuir com o aumento no número de doações no Estado.

"O projeto tem como objetivos incentivar a doação de sangue, expressando a importância dos doadores, criar um novo canal para manter o contato com as pessoas que fazem as doações, além de informar o doador sobre a efetiva utilização de seu sangue", argumenta Gustavo Fernandes.

No texto encaminhado pelo deputado, fica determinado que os bancos de sangue no RN fiquem responsáveis por informar diretamente aos doadores quando a doação for efetivamente utilizada para salvar uma vida. Através de SMS, mensagens por aplicativos, e-mail ou carta, os locais que coletarem o sangue farão o comunicado com o texto "Obrigado, você acabou de salvar uma vida!".

"O sangue é extremamente importante no tratamento de vítimas de acidentes, cirurgias, pacientes com câncer e hemofílicos, além de servir para as transfusões. No entanto, os índices de doações de sangue são baixos em todo o mundo, especialmente os do tipo "O" e "B" negativo. No Brasil, 1,9% da população faz a doação regularmente e esse número precisa aumentar", explica Gustavo Fernandes.

Na opinião do parlamentar, a proposta fará com que os próprios doadores divulguem nas redes sociais as mensagens que receberam após o sangue doado ser utilizado, incentivando outras pessoas a colaborarem a procurarem os bancos para contribuir com a causa. Ainda na proposta, fica determinado que só receberá a mensagem de confirmação o doador que mantiver seus dados cadastrados e demonstrar interesse em ser informado pelo banco de sangue.





18/04/2018
A terceira temporada da Casa de Papel

A plataforma Netflix anunciou o lançamento da terceira temporada da série espanhola "A Casa de Papel" somente em 2019. 

A empresa produtora e distribuidora de filmes e séries, uma das mais importantes do setor tecnológico dos EUA, aumentou em 63% seus lucros no primeiro trimestre de 2017, somando 290 milhões de dólares.

A série produzida por Atresmedia e Vancouver, que laportou na Netflix em dezembro passado, se converteu num fenômeno mundial, sendo a série de fala não inglesa mais vista até agora.

Na Espanha a trama original do canal Antena 3 tinha episódios que duravam 70 minutos, e na Netflix foram reduzidos, transformando a primera temporada em duas, cada uma com 13 e 11 capítulos respectivamente.





18/04/2018
Júri feminino no Festival de Cannes

O júri do Festival de Cinema de Cannes, presidido pela atriz australiana Cate Blanchett, será este ano majoritariamente feminino, com cinco mulheres e quatro homens, com destaques para as presenças das atrizes Kristen Stewart e Léa Seydoux.

A diretora e roteirista americana Ava DuVernay e a cantora Khadja Nin (Burundi) completam a representação feminina.

Os quatro homens que integrarão o júri que definirá o vencedor da Palma de Ouro são o ator chinês Chang Chen e os diretores russo Andrei Zviaguintsev, canadense Denis Villeneuve e francês Robert Guédiguian.

O júri representa sete nacionalidades de cinco continentes, destaca um comunicado divulgado pela organização do Festival de Cannes, que acontecerá de 8 a 19 de maio.





18/04/2018
Nas telas, a rainha do crime

Depois que o clássico "Assassinato no Expresso Oriente" foi transportado para o cinema no final de 2017, estrelado por Johnny Deep, Michelle Pfeiffer, William Defoe e Penélope Cruz, tendo ainda o diretor Kenneth Branagh no papel do imortal detetive Hércules Poirot, um outro romance da escritora Agatha Christie vira filme também.

A Fox Film decidiu construir um universo Christie no cinema e apostou na produção de uma sequência com outro livro de sucesso daquela que é considerada a maior romancista policial, apelidada de "rainha do crime". Um novo personagem, Charles Hayward, chega às telas saindo da obra "A Casa Torta", de 1949.

Agatha Christie nasceu na Inglaterra em 1890 e morreu em 1976. Seus romances de mistério e suspense foram fundamentais para formar leitores de várias gerações. O sucesso dos livros era tanto que muitas novelas policiais foram editadas em livros de bolso, populares a partir dos anos 30 no mundo inteiro.

Tão populares quanto os livrinhos, as revistas de fotonovelas que dominaram a preferência feminina a partir dos anos 60 com a enxurrada de produções italianas da mítica Editora Lancio também exploraram os sucessos de Agatha Christie. No Brasil os títulos da Editora Vecchi eram uma "coqueluche" (na gíria da época).

A escritora conseguiu imortalizar seus personagens Hércules Poirot e Miss Marple, que investigando centenas de misteriosos crimes alcançaram a estatura midiática de Sherlock Holmes, do escritor Conan Doyle, e de Jules Maigret, de Georges Simenon. Em "A Casa Torta", Charles Hayward é um inspetor da Scotland Yard.





18/04/2018
Márcia Maia alerta sobre aumento da pobreza

Quase 400 mil potiguares estão vivendo abaixo da linha de pobreza. O crescimento da miséria entre 2016 para 2017 foi de mais de 100% na Região Metropolitana de Natal. Preocupada com esses índices, a deputada Márcia Maia (PSDB) fez pronunciamento alertando para a gravidade dos números.

"Só na capital, o número saltou de 34 mil para 78 mil pessoas, ou seja, quase 9% da população. É um número absurdamente grande e que traz para todos nós uma preocupação enorme. Tudo isso é resultado do desemprego, da precarização das relações de trabalho e da informalidade", criticou a deputada.

Márcia Maia também alertou para o fato do crescimento dos índices de pobreza ter sido ainda maior em Natal. A deputada defendeu a criação de uma política de geração de emprego e renda, para deter as consequências perversas que estão contribuindo para o aumento da miséria e da própria violência.

"Cobro mais uma vez do Estado que recobre a política de geração de renda, de trabalho, para que possamos ter pessoas qualificadas sendo aproveitadas no mercado local. Muitas vezes essa mão-de-obra é exportada porque não houve qualificação aqui", afirmou.

A parlamentar assistiu recentemente a uma análise, de especialistas na área, sobre o aumento do número de potiguares vivendo na miséria.





17/04/2018
A disputa da Chuteira de Ouro

Um dos mais tradicionais prêmios individuais do futebol mundial, a Chuteira de Ouro está sendo disputada gol a gol, ponto a ponto, por duas dezenas de artilheiros das principais ligas da Europa. Veja abaixo os dez mais da artilharia 2017-2018.

1. Mohamed Salah (39 gols - Liverpool)
2. Lionel Messi (36 gols - Barcelona)
3. Cristiano Ronaldo (34 gols - Real Madrid)
4. Harry Kane (32 gols - Tottenham)
5. Edinson Cavani (32 gols - PSG)
6. Ciro Immobile (31 gols - Lazio)
7. Robert Lewandowski (29 gols - Bayern)
8. Luis Suárez (27 gols - Barcelona)
9. Romelu Lukaku (26 gols - Manchester United)
10. Sergio Aguero (25 gols - Manchester City)





17/04/2018
FIFA investiga racismo em amistoso

A FIFA está investigando supostos gritos racistas dirigidos a jogadores franceses por torcedores russos durante o amistoso entre as duas seleções no estádio que sediará a semifinal da Copa do Mundo.

Um fotógrafo da agência Reuters que cobriu o jogo em São Petesburgo, quando a França venceu a Rússia por 3 x 1, afirmou ter ouvido torcedores chamando o jogadores francês N'Golo Kanté de "macaco".

A FIFA está coletando relatórios com testemunhos de outros fatos semelhantes em outras partidas em estádios russos. Os jogadores franceses MBappe e Pogba se manifestaram e provocaram uma reação da ministra francesa dos Esportes, Laura Flessel-Colovic, que pediu providências ao governo soviético.

A Rússia prometeu reprimir o racismo na Copa, que ocorrerá em menos de dois meses. As federações de futebol francesa e inglesa temem que o fato se repita contra seus atletas, devido ao clima político depois que os dois países se uniram aos EUA na crise da Síria, aliada da Rússia.





16/04/2018
A gênese de Milos

A mídia engajada (quase sempre simpatizante dos ismos ideológicos) muito falou da carreira do cineasta checo Milos Forman, que faleceu na última sexta-feira, aos 86 anos, num hospital de Connecticut, nos EUA. Ele ganhou duas vezes o Oscar de melhor diretor por Um Estranho no Ninho (1975) e Amadeus (1984).

Esqueceram de destacar o lado emigrante de Forman e as razões que o levaram a viver em Nova York no conturbado ano de 1968. O então jovem diretor deixou Praga por causa da ditadura comunista e da intervenção russa quando a Tchecoslováquia tentava uma reforma democrática.

Filho de pais mortos em campos de concentração durante a invasão nazista, ele foi criado por parentes e ingressou na Academia de Cinema de Praga onde começou a escrever roteiros com apenas 16 anos. Seus dois primeiros filmes, em 1965 e 1967, aborreceram o governo checo e foram indicados ao Oscar de filme estrangeiro.

Convidado pela Paramount Pictures ainda em 1967, passou uma década buscando os direitos autorais do musical Hair, e o transformou num filme referência da geração hippie. Antes, ganhou o Festival de Cannes com Procura Insaciável (1971) e Um Estranho no Ninho (1975).

Milos Forman tanto conseguiu fugir do comunismo em sua pátria, quanto soube desviar-se do engajamento que contaminou setores de Hollywood. Forjou sua brilhante carreira unindo sentimentos antagônicos como inspiração de loucura divina e sensibilidade indignada com opressão sem olhar a cor partidária.

Seus primeiros filmes são ainda hoje cultuados na Checoslováquia e países da antiga Cortina de Ferro. Seu legado é o espírito da rebelião antissoviética que se tornou onda no Leste dos anos 60/70 e uma paixão humanista que sobreviveu ao vitimismo gauche que Hollywood ergueu como doutrina disfarçada de arte.





16/04/2018
Sessão homenageia TV Ponta Negra

A Assembleia Legislativa promove, esta semana, duas solenidades para homenagear a TV Ponta Negra, afiliada do SBT no Rio Grande do Norte, e para conceder título de Cidadão Norte-Rio-Grandense ao engenheiro e professor Benedito Vasconcelos Mendes. As sessões solenes acontecem às 9h, no plenário da Casa, terça-feira (17) e quinta-feira (19), respectivamente.

A solenidade alusiva à TV Ponta Negra foi proposta pelo deputado estadual Jacó Jácome (PSD) e foi requerida em razão da passagem dos 31 anos da emissora potiguar. "Trata-se de um importante veículo de comunicação local, que presta, há mais de três décadas, relevantes serviços à população, por meio da transmissão de informações de maneira séria e imparcial", comentou o parlamentar autor da homenagem.

A concessão do título de Cidadão ao engenheiro agrônomo Benedito Vasconcelos, por sua vez, foi proposta pelo deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM), com base nas "grandes contribuições dadas por ele ao Rio Grande do Norte como pessoa e como profissional". Natural de Sobral, no Ceará, Benedito já lecionou na UFERSA e na UFRN e ocupou várias funções públicas. Além disso, ele é membro de diversas Academias de Letra, incluindo a norte-rio-grandense, e criou e mantém o Museu do Sertão, localizado em Mossoró.

 





15/04/2018
A imagem do ano passado

O repórter fotográfico venezuelano Ronaldo Schemidt recebeu sexta-feira na cidade de Amsterdam, na Holanda, o prêmio World Press Photo pela imagem que retrata um manifestante em chamas durante os protestos em maio de 2017 em Caracas contra a ditadura Maduro.

O flagrante registrou o momento em que José Victor Salazar, de 28 anos, corre com o corpo envolto em labaredas depois de ser alcançado por um jorro de gasolina proveniente de uma motocicleta da Guarda Nacional Bolivariana que minutos antes havia sido explodida por um coquetel molotov.

O rapaz, que virou uma tocha humana, usa uma máscara contra gás lacrimogêneo e corre gritando em busca de ajuda para apagar o fogo, enquanto ao fundo se destaca num grafite na parede uma pistola apontada e a palavra "paz". O fotógrafo estava de costas durante o ato e quase perde o flagrante.

Profissional a serviço da Agência France-Press (AFP), Ronaldo Schemidt trabalha habitualmente no México, onde reside, mas de vez em quando viaja até a Venezuela para visitar familiares e documentar notícias relevantes. Em maio do ano passado, foi enviado para reportar os distúrbios organizados pela oposição contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

Ele narrou à imprensa durante a entrega do prêmio que só percebeu a cena porque sentiu o calor das chamas em suas costas, aí apontou a câmera e começou a disparar sem estar ainda consciente da gravidade do que estava ocorrendo. A vítima passou correndo e caiu logo à frente, momento em que outros manifestantes chegaram e apagaram o fogo.

A foto de Schemidt disputou o World Press Photo com outras cinco imagens que retratavam o atentado de Westminster, em Londres; uma vítima do grupo terrorista Boko Haram, na Nigéria; o drama dos refugiados rohinyás, em Myanmar; e duas sobre a liberação da cidade de Mosul, que estava dominada pelo Estado Islâmico.





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92