BLOG DO ALEX MEDEIROS

24/01/2019
Os grupos da Copa América 2019

Em solenidade realizada na noite desta quinta-feira, 24, a Conmebol sorteou os grupos da 46a edição da Copa América 2019 que acontecerá no Brasil entre os dias 14 de junho e 7 de julho.

Todas as seleções da América do Sul estarão competindo, acrescentadas equipes convidadas do Japão e do Qatar. O sorteio foi apresentado pelos jornalistas da Rede Globo, Tadeu Schmidt e Fernanda Gentil.

Alguns ex-craques da seleção brasileira estiveram presentes no palco, como Zico, Ronaldinho Gaúcho e Cafu, além dos atuais jogadores Zé Roberto, Lugano e Marta, do técnico colombiano Francisco Maturana e dos ex-jogadores Zanetti, da Argentina, e Romerito, do Paraguai.

Veja abaixo como ficaram os grupos. O Brasil estreia contra a Bolívia no grupo mais fácil que tem ainda Venezuela e Peru. A Argentina estreia contra a Colômbia, o Uruguai pega o Equador na abertura do seu grupo.

GRUPO 1
Brasil
Bolívia
Venezuela
Peru

GRUPO 2
Argentina
Colômbia
Paraguai
Catar

GRUPO 3
Uruguai 
Equador
Japão
Chile

       



24/01/2019
De volta aos anos de Collor

Já em exibição no canal Fox Premium e disponível em alguns aplicativos a segunda temporada da série ambientada na cena urbana do Rio de Janeiro, recheada de atores argentinos, com direção de Tomás Portella e René Sampaio, numa produção da Barry Company e Fox Networs Group Brasil.

Impuros é o título da série criada por Alexandre Fraga e estrelada pelo ator Raphael Logam, que interpreta Evandro do Dendê (Dendê é uma comunidade carioca onde impera o crime). Ele é um jovem favelado prestes a completar 18 anos e que sonha poder ganhar o próprio dinheiro de forma limpa e honesta.

O cenário temporal da trama é os anos 1990 durante o período do governo Fernando Collor e o ponto seminal da guerra do tráfico nos morros. Quando está para se alistar nas Forças Armadas, Evandro perde um irmão delinquente em confronto com a polícia e então resolve matar todos os envolvidos.

Desde o lançamento da primeira temporada, em outubro do ano passado, até chegar a segunda temporada, a trajetória do protagonista avança da ira juvenil para uma ação metódica que o transforma num dos principais chefes do tráfico em todo o continente latino-americano, enquanto o país de Collor ferve.

Na expansão continental das atividades criminosas do homem do Dendê justifica-se a invasão de artistas argentinos na produção originalmente brasileira. Entre todos destaca-se Jean Pierre Noher, ator admirado pelo diretor Walter Salles e por ninguém menos do que a atriz Fernanda Montenegro.

Estão lá também dois nomes bastante populares no país Hermano, o ator Germán Palácios e a atriz Julieta Zylberberg. Pelo lado brasileiro, destacam-se Cyria Coentro, Fernanda Machado, André Gonçalves (famoso também por se envolver em confusão) e Rui Ricardo Diaz, que interpretou Lula no cinema.

A série também está sendo exibida na Argentina e tem merecido bons comentários na mídia hermana. Não é apenas um roteiro sobre crimes e o submundo do narcotráfico, mas também uma história sobre relações humanas num ambiente de equilíbrio e conflitos entre poderes e à margem deles.

Para o diretor Tomás Portella, em entrevista à imprensa carioca, o projeto da série "é especial porque mostra uma visão de guerra sem heróis e sem vilões, onde todos são os dois dentro de suas realidades". Impuros é uma série que expõe um Brasil de trinta anos atrás com uma conjuntura mais que atual.

       



23/01/2019
Trinta anos sem Dali

Ontem fez 30 anos da morte do pintor espanhol, de origem catalã, Salvador Dali, senão a maior expressão surrealista das artes plásticas, talvez o próprio surrealismo, como ele mesmo se auto definiu um dia. Foi talvez o artista que mais reuniu unanimidade positiva quanto à arte e negativa quanto ao perfil pessoal, misto de ironia desbocada e ira fina com viés ideológico.

A pintura de Dali quando explodiu em cores vastas e cenários oníricos, praticamente fundiu a cuca do planeta. Não foi fácil aos críticos de arte, com seus vocabulários limitados pela razão narrar ou explicar suas imagens desconectadas das sinapses bem-comportadas da maioria da humanidade.

Os primeiros contatos da minha geração com as estranhas pinturas de Salvador Dali foram em visões miniaturizadas. Seus quadros reproduzidos em quadradas figurinhas de álbum, colecionadas juntamente com imagens de frutas, animais, roupas típicas, calhambeques e artistas de TV e cinema.

Ali em meados da década de 60, lembro que uns cromos com obras dele - uns relógios amolecidos e estendidos como roupas, e tigres avançando sobre uma mulher nua - chamava nossa atenção muito mais com as figurinhas de El Greco, Da Vinci, Rembrandt, Monet, Velázquez, Degas, Renoir e outros.

Pinturas que sugeriam viagens lisérgicas e que se aproximavam, pelo menos aos nossos olhos juvenis, à ficção das histórias em quadrinhos. Aqueles felinos saltando das nuvens, como atravessando uma fenda do espaço-tempo, lembravam as revistinhas do Fantasma, do Mandrake ou do Flash Gordon.

O que nós não sabíamos naquela época é que, enquanto Dali era festejado por seu talento com os pincéis, era execrado pelas pinceladas verbais da sua língua inquieta e por posicionamentos sócio-políticos considerados incorretos pelo establishment intelectual. O que tinha de espetacular, tinha de execrável.

Uma coleção de adjetivos acusatórios se acumulou em torno da sua figura, quase tão triste quanto o Quixote de Cervantes, que por sinal ele ilustrou por duas décadas, entre 1946 e 1964: egomaníaco, interesseiro, covarde, ganancioso, farsante, reprimido sexual e fascista. Um perfil tão plural que acabou mitificado na cultura de massa.

Há um livro, "Clube do Execrável", escrito pela dupla Malcolm Otero e Santi Giménez, com capítulos dedicados a diversas personalidades da história que teriam comportamentos condenáveis unidos às virtudes. Gente como Marx, Chaplin, Hitchcock e Churchill. A vastidão negativa de Dali se espalha por várias páginas.

Misture-se num acelerador de particularidades todos os adjetivos pejorativos e os elogios direcionados a Dali, que mesmo assim será sempre difícil defini-lo com alguma precisão, a mais mínima possível. Não dá pra entender quem derramou amor pela mulher, Gala, e se derreteu com outras e até com alguns homens, como Garcia Lorca.

Criou um estilo revolucionário que encantava artistas e intelectuais de esquerda, enquanto se declarava simpático a Franco e Hitler. Só ele mesmo para ser expulso do movimento surrealista por André Breton, um dos mentores, e ter se tornado sua maior representação. Foi da escrita automática de Breton que saiu o anagrama do seu nome endinheirado: Dólares A Vida.

       



23/01/2019
Viva Lula

Depois da feitura do documentário "Arredia e Tão Só", um tributo aos moradores da velha Redinha de peixes, rezas e cajus, o diretor Augusto Lula está na sua toca em Ponta Negra concluindo mais um filmete, agora sobre o cangaceiro Jararaca, o parceiro de Lampião sepultado na cidade de Mossoró e que todo ano, durante o feriado dos mortos, seu túmulo atrai romarias.

       



23/01/2019
As estatuetas do streaming

Em 2017 e 2018, a renomada revista Variety pautou o mundo do cinema em dois momentos distintos, mas de temática exatamente igual. No primeiro ano, o diretor do Festival de Cannes anunciou que os filmes produzidos pela produtora Netflix ficariam de fora da mostra competitiva.

No ano seguinte, coube a um diretor da Netflix avisar que seus filmes não iriam ser inscritos no festival francês, em protesto pelo ocorrido no ano anterior, quando as produções "Okja" e The Meyerowitz Stories" foram impedidas de competir.
Nas duas vezes, destaquei aqui no Galo Informa.

O nó da polêmica é que pelas regras de Cannes só podem participar os filmes com estreias mundiais ou nacionais em salas de cinema e não em outras plataformas de mídia, como TV, computadores e celulares. Inclusive cineastas como Costa Gavras e Wim Wenders ficaram ao lado de Cannes.

Ontem, 22 de janeiro, a Netflix teve todos os motivos para esquecer 2017 e 2018 e festejar bastante 2019. Seus serviços, representados pelos filmes Roma, de Alfonso Quarón; A Balada de Buster Scruggs, dos irmãos Coen; e End Game, dos irmãos Russo, tiveram 14 indicações para o Oscar.

Somente Roma, o filme mexicano em estilo noir, recebeu 10 indicações, uma marca espetacular e até certo ponto esperado por parte de cinéfilos e críticos. Se as indicações se confirmarem em estatuetas, na festa do dia 24 de fevereiro, a Netflix dá um salto para frear limites como os de Cannes.

Roma não é apenas o primeiro do serviço de streaming a disputar o prêmio de melhor filme, mas também concorre a outras categorias importantes, como melhor diretor, melhor atriz, melhor atriz coadjuvante e melhor filme estrangeiro. Pode até perder para A Favorita ou Green Book, mas já fez história. A Netflix põe glamour no cinema das telas domésticas.

       



22/01/2019
Os indicados do Oscar 2019

A Academia de Artes de Hollywood divulgou no fim da manhã a lista dos indicados no Prêmio Oscar que terá solenidade no dia 24 de fevereiro. Veja abaixo os indicados:

MELHOR FILME

Bohemian Rhapsody
Infiltrado na Klan"
A favorita"
Pantera negra"
Green Book
Roma"
Nasce uma estrela
Vice

MELHOR ATOR

Christian Bale (Vice)
Bradley Cooper (Nasce Uma Estrela)
Willem Dafoe (No Portal da Eternidade)
Rami Malek (Bohemian Rhapsody)
Viggo Mortensen (Green Book)

MELHOR ATRIZ

Yalitza Aparicio (Roma)
Glenn Close (A Esposa)
Olivia Colman (A Favorita)
Lady Gaga (Nasce Uma Estrela)
Melissa McCarthy (Poderia Me Perdoar?)

MELHOR DIRETOR

Spike Lee (Infiltrado na Klan)
Yorgos Lanthimos (A Favorita)
Alfonso Cuarón (Roma)
Adam McKay (Vice)


ATRIZ COADJUVANTE

Amy Adams - Vice
Marina De Tavira - Roma
Regina King - Se a Rua Beale Falasse
Emma Stone - A Favorita
Rachel Weisz - A Favorita

ATOR COADJUVANTE

Mahershala Ali - Green Book
Adam Driver - Infiltrado na Klan
Sam Elliott - Nasce Uma Estrela
Richard E. Grant - Poderia Me Perdoar?
Sam Rockwell - Vice

ROTEIRO ADAPTADO


Infiltrado na Klan
A balada de Buster Scruggs
Poderia me perdoar?
Se a rua Beale falasse
Nasce uma estrela

ROTEIRO ORIGINAL


A favorita
No coração da escuridão
Green Book - O guia
Roma
Vice

CURTA-METRAGEM


Detainment
Fauve"
Marguerite
Mother
Skin"

EDIÇÃO DE SOM

Pantera Negra
Bohemian Rhapsody
O primeiro homem
Um lugar silencioso
Roma

MIXAGEM DE SOM

Pantera Negra
Bohemian Rhapsody
O primeiro homem
Roma
Nasce uma estrela

CURTA DE ANIMAÇÃO

Animal Behavior
Bao
Late Afternoon
One Small Step
Weekends

FIGURINO


The Ballad of Buster Scruggs
Pantera Negra
A Favorita
O Retorno de Mary Poppins
Duas Rainhas

TRILHA SONORA ORIGINAL

Pantera Negra
Se a rua Beale falasse
O retorno de Mary Poppins

       



22/01/2019
Fátima Bezerra recebe o Sebrae

O gabinete da governadora Fátima Bezerra vai ficar estreito logo mais, 17h, para receber a direção local do Sebrae, durante reunião para discutir o projeto Natal na Segunda Guerra Mundial, o Projeto Despertar e a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa.

A companheira Fátima convocou para a recepção o grosso do seu secretariado: o chefe do gabinete civil, Raimundo Alves; os secretários de Educação, Getulio Marques; Turismo, Ana Costa; Tributação, Carlos Eduardo; Desenvolvimento, Jaime Calado; Planejamento, Aldemir Freire; e ainda o ex-deputado Fernando Mineiro, hoje tocando o programa Governo Cidadão.

Pelo Sebrae estarão o superintendente, Zeca Melo; o presidente do conselho deliberativo, Marcelo Queiroz; o diretor técnico João Hélio e o diretor de operações Marcelo Toscano.

Não foi divulgado o acompanhamento do cafezinho.

       



22/01/2019
Os combativos do Diário Oficial

Em praticamente 100% das propagandas do SINTE, o sindicato dos servidores em educação no RN, há sempre o adjetivo "combativo" antecedendo o nome da entidade. No movimento sindical potiguar, é realmente um dos mais ativos e barulhentos.

Mas há um lado silencioso e nem combativo assim no SINTE nesses tempos de governo do PT no pobre estado nordestino. Refiro-me às nomeações dos seus dirigentes nos cargos em comissão da companheira governadora, egressa do mesmo sindicato.

Um sobrinho da atual presidente foi nomeado no Direc; um diretor chamado Jadson, da regional de Mossoró, ganhou um cargo. O mesmo aconteceu com Manoel Amador, da regional de São Paulo do Potengi.

Lá em Apodi, a dirigente regional Luzia Pinto já garantiu sua vaga no governo; outro diretor regional em Nova Cruz, de nome Marcelo, também foi nomeado. Assim como Leopoldo, dirigente em Umarizal.

Em Pau dos Ferros, a nomeação presenteou Aparecida Vieira, dirigente seccional do sindicato. As nomeações não pararão por aí, é só ficar atento ao Diário Oficial. Mais gente "combativa" vai entrar na luta dos cargos em comissão. 

       



21/01/2019
Tiroteio na extrema imprensa

É pura hipocrisia da chamada grande mídia na cobertura parcial sobre a posse de arma. A revista Veja, por exemplo, postou a  frase de um pai que perdeu um filho em acidente envolvendo um revólver: "nunca mais compro uma arma", disse.

Ora, ora, milhares de jovens morrem anualmente em acidentes de trânsito no Brasil, e também no consumo de álcool, mas ninguém desistiu de comprar carros ou bebidas, né mesmo?

       



21/01/2019
A flauta do Pan

A Caixa Econômica aguarda definições no TCU para vender 49% da sua participação no Banco Pan, que foi fundado em 1969 pelo apresentador Sílvio Santos como Banco Panamericano.

O Ministério Público e a Polícia Federal deveriam investigar como foi que o homem do baú salvou o Pan a partir de uma ordem de Lula a toque de Caixa. Foi mágica pura.

       



1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20