BLOG DO ALEX MEDEIROS

23/06/2017
A farra dos partidos

A eleição de 2018 vai promover uma farra com o dinheiro público, torrando a fortuna de R$ 3,5 bilhões do erário. Esse é o montante previsto para engordar o famigerado "fundo partidário" que alimenta os partidos políticos.

Em qualquer país civilizado, a sociedade já estaria se manifestando frontalmente contra uma putaria dessa. A dinheirama derramada com a festinha cívica dos partidos seria de bom grado para construção de novos hospitais e escolas, por exemplo.

Cegos nas dicotomias entre petistas e tucanos, Lava Jato e políticos, os contribuintes nem se tocam da gravidade e acabam digerindo o discurso demagógico, moralista e dissimulado das castas, aprovando a ideia da campanha eleitoral patrocinada com dinheiro público.

O modelo deveria seguir o dos EUA: cada partido que caia em campo buscando apoios financeiros no setor privado e na própria sociedade civil. Aquela legenda que não conseguir arrecadar que feche as portas dos diretórios ou encerre os esquemas cartoriais.

Um país já tão vilipendiado como o Brasil não pode se dar ao luxo de promover um derrame no tesouro só para financiar o regabofe eleitoral de mais de 30 partidos políticos, todos eles apodrecidos pelo atraso dos discursos e pela corrupção.





23/06/2017
Flag Football na Vila Olímpica de Macaíba

A Vila Olímpica de Macaíba sediará a primeira etapa da Liga Nordeste de Flag Football, nos próximos sábado (24) e domingo (25). A Liga é composta e gerida por dez times de cinco estados (Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Piauí e Maranhão) divididos em duas conferências (leste e oeste). O município sediará as partidas da Conferência Leste (Etapa Pax).

As quatro melhores equipes da Conferência se classificam para a etapa final em Sobral (CE) que contará com a participação das duas melhores equipes da conferência Oeste. Local, data e tabela das finais ainda serão definidas pela Liga.

Sobre o Flag Football

O esporte é uma variação do futebol americano, mas com menos contato físico entre os jogadores. São formados dois times, com quatro a nove integrantes, cada um. O objetivo é fazer o maior número de pontos.

Os jogadores prendem duas fitas (flags) na cintura com velcro. Quem está com a bola tem de fazê-la chegar até o fim do campo adversário com passes entre os colegas e correr para marcar gols, impedindo que os oponentes peguem uma das fitas. Se isso ocorrer, a jogada é interrompida.*

Confira a tabela dos jogos da Etapa em Macaíba:

 

Conferência Leste

Dia 24/6

08h - Bulls x Bodes Pretos

08h - Goats x Protos

11h - Rockets x Tropa

11h - Goats x Bodes Pretos

14h - Bulls x Potros

14h - Rockets x Bodes Pretos

16h - Goats x Tropa

 

Dia 25/6

08h - Bulls x Tropa

08h - Rockets x Potros

11h - Final (os dois melhores no geral)

12h - Premiação

*Com informações do site Nova Escola





22/06/2017
Hai kai

Tua figura especial
lembrada todo dia
tatuagem cerebral





Veja o video:

22/06/2017
Novo trailer de Game os Thrones

O verão pode ter chegado no Brasil, mas um inverno glacial e sinistro continua dando o tom dos conflitos da sétima temporada da série Game of Thrones, sucesso mundial do canal HBO.

Veja o segundo trailer da nova temporada que já está atiçando os fãs da super produção.





22/06/2017
Audiência na AL discute ciência e tecnologia

Com o objetivo de reivindicar mais investimento para a área da ciência e tecnologia, a Assembleia Legislativa promove nesta quinta-feira (22), por proposição do deputado Fernando Mineiro (PT), a audiência pública "Orçamento público e Política Estadual de Ciência e Tecnologia no RN". O debate acontece a partir das 15h, no auditório da Casa.

"O que vemos hoje é uma grande discrepância entre o orçado e o executado, então precisamos aproveitar melhor os recursos públicos para investir efetivamente em ciência e tecnologia", explica o parlamentar. Segundo ele, entre 2011 e 2016 foram orçados para a área da pesquisa, ciência e tecnologia mais de R$ 253 milhões. Contudo, apenas 12% foi executado.

A audiência é fruto de encaminhamentos da reunião da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia, presidida por Mineiro, ocorrida no último dia 7. Na ocasião, o Fórum Estadual das Instituições Públicas de Ensino Superior reclamou mais orçamento para pesquisa e desenvolvimento tecnológico, mais recursos para as pós-graduações e qualificação dos docentes, além da reformulação da legislação estadual atual.

Foram convidados para o debate representantes da Fundação de Apoio à Pesquisa do RN (Fapern), das Secretarias Estaduais de Desenvolvimento Econômico e Finanças a Planejamento e do Fórum Estadual das Instituições Públicas de Ensino Superior (UFRN, Ufersa, Uern e IFRN).





22/06/2017
A quadrilha do leão

No mês do arrasta-pé, das fogueiras, das quermesses e das comidas típicas, o leão do Fisco também brinca à sua maneira, mordendo tudo sem a menor cerimônia diante dos santos festejados.

Segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Planejamentoe Tributação (IBPT), a carga de impostos nos produtos juninos é também bastante elevada e sobe mais que balão a cada ano.

Há produtos, como os fogos de artifícios, que chegam a ser tributados em mais de 61%. Já o vinho do quentão (tradição no Sudeste) atinge quase 55%

Até nas casas que vendem estatuetas de São João e São Pedro, o peso da pata do leão é maior que um caminhão de milho. Mais da metade (51,52%) do preço das imagens dos santos é composta de tributos.





22/06/2017
Criativos 3.0

Não consigo digerir e nem acreditar que em pleno terceiro milênio ainda exista na mente de alguns publicitários os velhos vícios de linguagem que já não carregam qualquer sinal de inovação. Ainda pululam por aí velhas fórmulas de reclames como "a loja X aniversaria e quem ganha o presente é você" ou os batidos textos em tempos juninos com os apelos "queima", "estouro" e "balão subindo e preço caindo".

Agora mesmo, nas rádios da cidade, há um spot sendo veiculado para anunciar uma revenda de automóveis, onde o apelo inicial da publicidade já não se vê nem em kombi divulgando circo de periferia. Nada mais batido e ridículo do que uma locução dizendo "interrompemos a programação para...".

Gente, pelo amor e indiferença dos deuses, não faça isso com o dinheiro do cliente e com a inteligência dos ouvintes. Que eu me lembre, creio, a primeira vez que tal expediente foi usado deve ter sido em 1939 quando o ainda aprendiz de gênio Orson Welles interpretou como reportagem uma invasão de alienígenas a partir do livro "Guerra dos Mundos", de H. G. Wells.

Tudo bem que até meados dos anos 1980 algumas cidades ainda com o aspecto provinciano tenham assimilado a surpresa com a interrupção da programação radiofônica para se deparar com promoções de supermercados, lojas de roupas ou a chegada de um bom circo. Mas, permanecer utilizando algo tão rococó em 2017 é de uma criatividade digna dos delatados na Lava Jato negando os delitos.





21/06/2017
Ronaldo vai pagar pra não ser preso

O craque Cristiano Ronaldo, que nesta quarta-feira enfrenta a Rússia pela Copa das Confederações, vai ter que pagar 14,8 milhões de euros para evitar ser preso depois da acusação de fraudar o fisco na Espanha. A notícia foi dada pela rádio Cadena Cope, de Madrid.

O jogador da seleção portuguesa e do Real Madrid, que vai ser ouvido no próximo dia 31 de julho por um juiz de instrução, optou por pagar o gordo valor de forma preventiva, excluindo assim um pedido de prisão, mesmo que o juiz considere que ele cometeu o delito.

Ronaldo enfrenta uma acusação apresentada pela seção de delitos econômicos do fisco de Madrid. Ele é acusado de quatro delitos fiscais, cometidos entre os anos de 2011 e 2014, que apontam o desvio de quase 15 milhões de euros.

O caso entristeceu o jogador, que durante a estada na Rússia com a seleção das quinas chegou a declarar que não quer mais jogar no Real Madrid.





21/06/2017
STF julga hoje se Fachin continua no caso JBS

Decisivas nas revelações sobre o mega esquema de corrupção da Petrobras, as delações premiadas serão tema de julgamento hoje no Supremo Tribunal Federal (STF). Os 11 ministros decidirão se as colaborações de denunciados podem ser homologadas de forma monocrática - o que acontece desde o início da Operação Lava-Jato - ou se precisam passar pelo plenário do tribunal. Na mesma sessão, está marcado um pedido para que o ministro Edson Fachin deixe a relatoria da delação da JBS.

O plenário vai analisar uma petição apresentada pelo governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), que alega que a delação da JBS não tem ligação com os desvios na Petrobras e por isso não deveria ser ligada às apurações da Lava-Jato. Na mesma petição será discutido o papel do ministro relator para decidir sobre a validade dos acordos firmados entre delatores e o Ministério Público Federal (MPF).

O governador tucano foi citado por delatores da JBS como beneficiário de R$ 38 milhões. Documentos apresentados ao MPF pelos executivos da empresa apontaram que as negociações começaram na campanha eleitoral de 2010. Ainda segundo Joesley Batista, na gestão de Azambuja foram pagos R$ 12,9 milhões em propina por meio de notas falsas de compra de carne bovina por vários fornecedores. O tucano chamou as acusações de "mentiras deslavadas".

No final de semana, o ministro Gilmar Mendes foi um dos que criticaram o andamento da Lava-Jato e, sem citar diretamente o ministro Fachin, questionou o afastamento de parlamentares por decisões liminares. O ministro Luiz Fux, do STF, também se mostrou favorável que as homologações sejam feitas pelo plenário do tribunal e não monocraticamente. "Se o colegiado é que vai julgar a causa, ele pode eventualmente avocar para si o poder de homologar a decisão. Eu entendo ser até interessante essa metodologia, de o pleno homologar a delação com a presença do réu no centro do plenário para que todos os membros possam tirar suas conclusões", afirmou Fux. Segundo ele, como a legislação sobre as delações é recente e é normal que haja interpretação diferente por parte de outros ministros.

A mudança na forma como as delações vêm sendo homologadas até agora é vista com receio por parte dos investigadores do MPF. Ontem, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou um memorial ao STF defendendo que o ministro Fachin seja mantido como relator nos processos envolvendo o frigorífico JBS e que as homologações monocráticas das delações devem continuar sendo válidas. Caso todas as colaborações premiadas tenham que passar pelo plenário, as decisões devem tomar mais tempo e podem ficar suspensas em caso de pedidos de vistas ou adiamentos.

Para o jurista Luiz Flávio Gomes, especialista em processos penais, a posição do Supremo diante dos questionamentos será de extrema importância para os próximos passos das investigações. "É a primeira vez que essa questão será discutida no STF", destaca. Para Luiz Gomes, "o tribunal tem deixado claro que não pretende atrapalhar a Lava-Jato. Acho que os ministros vão sustentar as homologações monocráticas, que vem sendo usadas desde o início da operação", opina. "Ainda quando o relator era o ministro Teori Zavascki, dezenas de delações foram validadas e depois com Fachin, outras várias foram homologadas e deram andamento às apurações", lembra o jurista.

Doleiro Em agosto de 2015, o STF confirmou por unanimidade a validade do acordo de delação premiada firmado entre o doleiro Alberto Yousseff e o MPF. No plenário, os 10 ministros da Corte (como o recurso era contra a sua decisão, Teori Zavascki não participou da votação) consideraram legal a decisão do ministro relator Zavascki em homologar o acordo. No entanto, o recurso avaliado pelo STF na época não questionou a decisão monocrática, mas a suposta falta de credibilidade do delator, que já havia mentido para a Justiça anteriormente.





21/06/2017
Hai kai

Como dar bom dia
se perdi em você
a poesia?





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92