BLOG DO ALEX MEDEIROS

28/04/2017
Os primeiros concursados da Assembleia

Pela primeira vez em sua história, a Assembleia Legislativa do RN realizou um concurso público para contratação de servidores, com 85 aprovados já devidamente convocados por determinação do presidente da casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB).

"O trabalho do legislativo será perpetuado pelos concursados", disse Ezequiel na primeira declaração oficial após cumprir o compromisso de instalar concurso e convocar os primeiros aprovados, 85 no total.

O ato de convocação foi aprovado pela Mesa Diretora e publicado no boletim legislativo da última quarta-feira, 26, tornando oficial o chamamento dos 85 novos servidores que serão incorporados a todos os setores da AL. A posse de cada um ocorrerá no prazo de até 30 dias após os atos formais.

"O trabalho do legislativo será perpetuado pelos concursados", essa foi a primeira declaração do presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), após cumprir o compromisso de concluir a convocação de todos os aprovados no primeiro concurso público da história da Assembleia, até este mês de abril.

O ato, aprovado pela Mesa Diretora, foi publicado no Boletim Legislativo desta quarta-feira (26) e torna oficial a totalização do chamamento dos 85 novos servidores que serão incorporados a todos os setores da instituição. A posse, de cada candidato, ocorre até 30 dias após a consolidação dos atos formais.

A lista com os nomes dos convocados, assim como as demais informações sobre os atos de posse estão disponíveis no Boletim Legislativo de nº 73, de 26/04/2017, no http://www.al.rn.gov.br .





27/04/2017
A GREVE DO FERIADÃO

EDITORIAL ESTADÃO

Uma "greve geral" marcada para coincidir com a véspera de um feriado prolongado, encompridando-o um pouco mais, traduz bem o espírito dos organizadores desse movimento. Os chefes das centrais sindicais que convocaram a paralisação certamente esperam que a adesão seja alta, entre outras razões, porque muita gente vai considerar a "greve" uma oportunidade de antecipar a folga. Como ergofóbicos que são, esses sindicalistas conhecem o valor de uma boa desculpa para não ir trabalhar.

E a desculpa da vez são as reformas promovidas pelo governo de Michel Temer, especialmente a trabalhista e a previdenciária. A desonestidade dessa campanha sindical, orquestrada pelo PT, é evidente por si mesma. O partido que governou o Brasil por mais de uma década e é diretamente responsável pelo colapso da economia - sem falar do colapso moral - lidera um movimento destinado justamente a sabotar as únicas soluções possíveis para a crise que os próprios petistas criaram.

Para que o deboche seja completo, o PT, ao mesmo tempo que está organizando a tal greve, tratou de lançar um "plano econômico", batizado de Seis Medidas Emergenciais para Recuperação da Economia, do Emprego e da Renda. Lá estão, uma a uma, as mesmíssimas medidas que condenaram o Brasil a três anos de profunda recessão, que quase levaram o Estado à bancarrota e que criaram mais de 13 milhões de desempregados.

Os petistas dizem que querem, entre outras coisas, "fortalecer empresas brasileiras para gerar empregos de qualidade", isto é, voltar a privilegiar empresas amigas do governo; "aumentar o comércio Sul-Sul, principalmente os Brics", impedindo, por questões ideológicas, que o Brasil faça acordos comerciais muito mais vantajosos; e "investir em infraestrutura para uma economia dinâmica e eficiente", o que, no governo petista, equivaleu a destinar bilhões de reais para projetos superfaturados que mal saíram do papel. Além disso, o PT pretende "recuperar as empresas de construção civil", ou seja, dar uma mãozinha aos sócios empreiteiros hoje enrascados na Lava Jato, e também quer "recuperar o papel central da Petrobrás", impedindo - atenção - "a fragmentação, destruição e privatização da Petrobrás", como se a estatal não tivesse sido rapinada e arruinada justamente pelos petistas.

A desfaçatez é, portanto, total. O PT, fragorosamente derrotado nas urnas e expelido do poder por ter legado à Nação uma crise econômica sem precedentes e um descomunal escândalo de corrupção, acredita-se em condições morais de denunciar um governo que, a duras penas, luta para consertar uma parte desse estrago. E é espantoso que haja quem, por vício sindical ou político, aceite engrossar esse movimento, deixando de refletir sobre os efeitos nefastos que a rejeição das reformas de Temer teria para o conjunto da sociedade.

Até mesmo algumas escolas particulares de São Paulo decidiram apoiar o movimento grevista de seus professores, em vez de lhes cortar o ponto pela falta, em claro desrespeito aos que pagam mensalidade em troca do serviço. Uma das escolas, resumindo o espírito que presidiu tão esdrúxula decisão, argumentou que as reformas foram encaminhadas "sem o debate qualificado" - como se o Congresso não fosse o local legítimo desse debate.

A maioria dos trabalhadores que deixarão de cumprir expediente amanhã, contudo, será formada não por grevistas, mas por funcionários que não conseguirão chegar ao trabalho em razão da paralisação do transporte público. O mesmo vai acontecer com os estudantes, que deixarão de ir à escola não apenas pela falta de transporte, mas porque muitos professores aderiram à greve.

Tudo isso, caso se confirme, tende a dar a falsa sensação de que a "greve geral" é mesmo geral, isto é, que mobilizou grande parte dos trabalhadores para protestar contra as reformas encaminhadas pelo governo. Num Congresso acuado por denúncias de corrupção e pela perspectiva de grandes e radicais renovações nas eleições de 2018, essa atmosfera pode definir votos contra as mudanças. Ao governo cabe manter a firmeza de propósitos, sem se intimidar pela delinquência daqueles que usam os "direitos do trabalhador" para golpear os trabalhadores pelas costas. (OESP)





26/04/2017
Deputado critica aumento de passagens

Em pronunciamento na sessão plenária desta quarta-feira (26), na Assembleia Legislativa, o deputado Carlos Augusto Maia (PSD) criticou o reajuste no valor das passagens de ônibus para o transporte público intermunicipal. O parlamentar criticou a medida e cobrou contrapartidas por parte das empresas prestadoras dos serviço.

"Desde a última segunda-feira as passagens para a Região Metropolitana de Natal aumentaram quase 1 real, notadamente para as linhas de Parnamirim-Natal. Pode parecer pouco, mas se considerarmos a rotina dos trabalhados no final do mês, vamos ver que este acréscimo impactará muito na programação financeira das famílias", disse Carlos Augusto.

Na oportunidade, o deputado defendeu maior investimento por parte das empresas de ônibus. "Peço que as empresas invistam na melhoria do serviço, tornando os transportes mais seguros para que o cidadão possa pagar esse aumento tendo a garantia de que gastou em um serviço de qualidade, o que não tem sido observado", concluiu ele.





25/04/2017
Quatro estrelas numa só

Medir o Universo desde à Terra ou seus arredores é algo muito difícil, alguns diriam impossível, mas os cosmólogos estão bastante satisfeitos porque encontraram um padrão que lhes permite medir distâncias e estudar temas como a velocidade da expansão do Cosmo, seu conteúdo em matéria escura e inclusive somar-se também a misteriosa energia escura.

Importante informar aos leitores que o físico potiguar Renan Medeiros é um dos poucos cientistas do mundo a elaborar equação específica para a medição das distâncias entre as estrelas.

O tal padrão citado no início é o brilho de um tipo de estrela, a supernova, um fenômeno relativamente comum que é realmente uma explosão estelar. E agora foi detectado a primeira supernova que desde a Terra é vista como quatro supernovas e 50 vezes mais brilhante devido a que no meio há uma galáxia que atua como uma lente.

Tal visão é conhecida como anel ou cruz de Einstein (que previu sua existência em 1912) e que desde 2015 foi observada já como uma supernova de outro tipo, semelhante às galáxias ou quasares.

Provar as teorias da curvatura do espaço tempo em escala menor é uma vantagem do descobrimento. "Estávamos buscando uma supernova magnífica há uns 15 anos. Repassei todos os dados possíveis com técnicas variadas e ao final me dei por vencido, de modo que este resultado agora foi uma grande surpresa", disse o astrônomo sueco Ariel Goobar, que chefia o estudo.





25/04/2017
Moro vai ouvir mais sobre Palocci

Ontem (24), o juiz federal Sérgio Moro decidiu intimar sete réus na ação penal que envolve o ex-ministro Antônio Palocci, para que eles prestem novos depoimentos.

Os novos depoimentos serão no dia 5 de maio. Moro vai ouvir Fernando Migliaccio da Silva, Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, Luiz Eduardo da Rocha Soares, Marcelo Odebrech, Marcelo Rodrigues, Olívio Rodrigues Júnior e Rogério Santos da Araújo.

Os depoimentos foram pedidos pela defesa de Palocci. De acordo com o juiz, as oitivas não devem invalidar as anteriores. "Permanecem válidos os depoimentos anteriores e os novos interrogatórios versarão apenas sobre eventuais perguntas adicionais, em vista do teor dos acordos de colaboração e dos depoimentos prestados no acordo, da Defesa de Antônio Palocci Filho", disse Moro no despacho.

A defesa do ex-ministro havia solicitado, também, a inclusão das delações premiadas dos marqueteiros João Santana e Monica Moura aos autos. O pedido foi negado sob a justificativa de que tais depoimentos ainda não tiveram o sigilo levantado pelo STF.





25/04/2017
Ah, essas falsas damas

Na politicagem nacional, por trás das etiquetas, das roupas de grife e das jóias ofuscantes de altas notas, há quase sempre uma esposa ou noiva de político escondendo um crime na sua vitrine de vaidade.

Depois da prisão da mulher de Sergio Cabral e da apreensão momentânea da de Eduardo Cunha, agora a Polícia Federal indiciou a primeira-dama de Minas Gerais, Carolina Pimentel, casada com o governador Fernando (PT) por corrupção, lavagem de dinheiro e crime eleitoral.

É a Operação Acrônimo.





25/04/2017
Pós-graduação na Escola da Assembleia

A Comissão dos Servidores da Escola da Assembleia concluiu o processo seletivo para duas novas turmas de Pós-graduação: em Gestão Pública e em Poder Legislativo e Políticas Públicas. Com elas, a atual Gestão atinge o expressivo número de 14 turmas de pós-graduação oferecidas.

É importante ressaltar que a turma de Gestão Pública terá suas aulas concentradas num final de semana por mês, com o objetivo de abranger o maior número possível de servidores do Poder Legislativo, nas esferas estadual e municipal.

Os alunos selecionados deverão realizar as matrículas na Secretaria Escolar da Escola da Assembleia, no período de 24 a 28 de abril, das 08h às 18h. Após essas confirmações, a Escola da Assembleia irá divulgar uma segunda chamada, no dia 02 de maio de 2017.

Gestão Pública:

As aulas, com início no próximo dia 05 de maio, acontecerão nos seguintes horários: sexta-feira das 18h às 23h, sábado 08h às 18h e domingo 08 às 13h.

Abaixo, confira a lista dos aprovados:

1 JACOB HELDER GUEDES DE OLIVEIRA JACOME

2 MARCIO CEZAR DA SILVA PINHEIRO

3 ELIABI CESAR DANTAS DA SILVA

4 RICARDO LUIZ MEDEIROS DA FONSECA

5 ELIZABETH ANGELA DE MACÊDO SILVA PAIVA

6 ALCEMIR ALVES DA COSTA

7 EUDIJANINE KATEUSE S DAS CHAGAS RODRIGUES

8 FRANZ LISZT NIXON COUTINHO MADRUGA

9 GABRIEL DA CUNHA PIMENTA

10 MARIA DO CARMO SILVA DOS SANTOS

11 KARINE KARLA CAMARAO DE OLIVEIRA

12 FLAUBER PEIXOTO SOARES LINS

13 SANDRA DIAS CARVALHO NEGOCIO

14 MARIA BETANIA VALLADAO SOUSA

15 MARCELO DE MELO NORONHA JUNIOR

16 GEANE AUGUSTO DE LIMA

17 ALEXANDRE CLAUDIO DE OLIVEIRA GURGEL

18 MARIA ALINE DO NASCIMENTO

19 ALEKSANDRO BERETTA DE LIMA

20 ANTÔNIO JACOME DE LIMA JUNIOR

21 HERICKSON CIDARTA GOMES DE OLIVEIRA

22 ERICA ANNIELLE MACEDO DE MENDONCA

23 DANIELLE MARIA DE ARAUJO

24 JEANNE MARIE FELINTO DE MEDEIROS

25 LUCILEIDE SOARES FERNANDES

26 FLAVIANA REGIA FERNANDES VERAS

27 MURILLO VICTOR UMBELINO MACHADO

28 NIEDJA LÚCIA APRÍGIO FILGUEIRA LIMA

29 GUILHERME AFFONSO MELO AMANCIO DA SLVA

30 DANIELA CALDAS PESSOA

31 RENNATA RAYSA PEREIRA LUCENA

32 FELIPE AUGUSTO CORTEZ MEIRA DE MEDEIROS

33 ELTON OLÍMPIO DE MEDEIROS MAIA

34 ROGÉRIO CESAR SANTIAGO

35 HUMBERTO PEREIRA DE BRITO

36 ÍTALO DE BRITO SIQUEIRA

37 ANDRE VIEIRA MELO DA SILVA

38 ELTON DE SOUZA ALVES

39 DEBORAH SARAH LINTRO FERREIRA

40 RUTIELLE BARBOSA DA SILVEIRA

41 RHALESSA CLEDYLANE FREIRE DOS SANTOS

42 SAMARA TAIANA DE LIMA SILVA

43 ALYNE IASMYN FERREIRA FERNANDES

44 ODIJEFFERSON DUARTE F. DOS SANTOS

45 ILANA PEREIRA ALVES

46 SIDNEY DA SILVA

47 WALNEY MENDES ACCIOLY

48 CLEDILSON ALVES DA SILVA FILHO

49 JOÃO MARIA BEZERRA

50 JULIO CESAR TRIGUEIRO DE LIMA

51 JOSÉ WELLINGTON VIEIRA DA SILVA

52 GILMARA DE ARAUJO TAVARES

 


Suplentes:

53 ANDRÉA DE FÁTIMA SILVA DE MEDEIROS

54 FRANCIGLEY VASCONCELOS DE AMORIM

55 FATIVAN ALVES MOURA DE PAIVA

56 NAYANA PRISCILLA LOURENÇO DE MACEDO

57 KELSE BRENA FERNANDES

58 TEREZA CRISTINA BEZERRA PEREIRA

59 ERINEIDE FERNANDES SÁ

60 MIKAELE DO NASCIMENTO COSTA MARINHO

61 MICARLA VANESSA XAVIER DA COSTA SILVA

62 AILTON LIMA DE SÁ

63 ANDREZZA BRASIL SOUTO

64 ANA THAIZE GOMES DA SILVA

 

Poder Legislativo e Políticas Públicas:

As aulas, com início no próximo dia 08 de maio, acontecerão nos horários das 18h às 22h, nas segundas e quartas-feiras

 

1 MARCIA FARIA MAIA MENDES

2 AKALINE DE ARAUJO BEZERRIL DE OLIVEIRA

3 PATRÍCIA SANTOS FAGUNDES

4 JOSÉ RAIMUNDO DE OLIVEIRA JUNIOR

5 JOSILENE ROZA DA SILVA MAIA

 

Os candidatos selecionados estão sendo convocados pela direção da Escola da Assembleia dentro do limite de vagas, respeitando os prazos previstos no edital para entrega de documentação comprobatória das informações prestadas no ato da inscrição.

Outras informações na sede da Escola, localizada na Rua Açu, 426, Tirol, no endereço www.al.rn.gov.br ou pelos telefones 3232-1001 / 3201 -6369.





25/04/2017
Uma carta magna de Alcymar Monteiro

O cantor Alcymar Monteiro encaminhou uma carta aberta ao coordenador do famoso evento junino da cidade de Campina Grande, atualmente contaminado pelos modismos dos ritmos e músicas de mau gosto e que ludibriam ouvidos desatentos.
Leiam abaixo o texto do artista:

Carta de Alcymar Monteiro

"Caro Coordenador de Comunicação de Campina Grande, Marcos Alfredo Alves,
Teria dado como encerrada a polêmica sobre o "São João" de Campina Grande, mas sua réplica, e minha presença hoje no Festival Viva Dominguinhos não me permitiram ficar sem uma tréplica.
E por qual motivo a minha presença nesse Festival, que se realiza anualmente na cidade-mãe do Mestre Dominguinhos, Garanhuns, me fez escrever essa resposta? Um motivo singelo: esse evento desmonta completamente a falácia de vocês que falam em "modernizar" a grade das festas juninas, como se isso fosse garantia de maior público e renda para a cidade.
Coordenador, o senhor e o prefeito, conjuntamente a empresa pernambucana Aliança, partem de uma falsa premissa de que uma grade recheada de "atrações nacionais" invalida a presença de figuras históricas da música nordestina que, ao contrário do que o senhor disse, se não têm com certeza deveriam ter cadeira cativa no seu São João.
Coordenador, o senhor fala em terceirizar despesas. E a partir daí já me perdeu no seu texto, tão bem escrito... Me perdeu pelo fato de sua visão de mundo, e creio que a de seu chefe, colidir tão frontalmente com a minha: enxergar o investimento em cultura popular como meramente uma rubrica orçamentária, uma "despesa".
Coordenador, cultura não é despesa. Cultura é dever. Dever constitucional. Cultura é direito humano fundamental. Está no artigo 27 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, se o senhor não sabe. Cultura é a forma pela qual passamos nossas histórias, nossas danças, nossas músicas, nossa linguagem; enfim, nossa identidade, aos nosso filhos e netos. Cultura é, portanto, tão importante e essencial quanto saúde.
Muito me magoa sua ideia de que eu ou algum de meus colegas de profissão publicou qualquer crítica por estar somente "de fora da grade". Pessoalmente publiquei um vídeo falando da desvalorização do ritmo forró, intrínseca e indissociavelmente ligado ao São João, em detrimento a ritmos exógenos à nossa realidade. Coordenador, sem nenhuma falsa modéstia e do alto dos meus mais de 35 anos de carreira artística lhe digo uma coisa: se Alcymar Monteiro, Santanna, Genival Lacerda (e seus 50 anos de carreira!) Jorge de Altinho, Zé Ramalho, Flávio Leandro, Petrúcio Amorim, Geraldo Azevedo, e tantos outros ficaram de fora de Campina Grande, a perda é de vocês. Aliás, de vocês não, do POVO de Campina Grande sim.
E digo mais, Coordenador. E digo com todas as letras, para que fique consignado para a história e bem claro. O que a gestão a qual o senhor faz parte está fazendo com o São João de Campina Grande é crime de lesa-cultura. O senhor não pode, sob o guarda-chuva de "popularidade de ídolos" calar a voz de dezenas de artistas que têm um compromisso com a cultura NORDESTINA.
Há espaço para todos os ritmos em todos os locais. Não sou ingênuo para achar que grandes eventos de massa não são regidos também por interesses comerciais. Mas não podem ser regidos SÓ por interesses comerciais. O senhor fala em parceria público-privada, em profissionalização, todas palavras muito bonitas para qualquer empresa que cuide de qualquer área PRIVADA. Aqui não, Coordenador. O senhor está cuidado de um bem imaterial DO POVO. O senhor está cuidando da herança que essa geração deixará para a próxima. Cultura nunca deu nem nunca daria "lucro". O "lucro" da cultura é saber que os valores dos seus pais, Coordenador, estão imbuídos no senhor através daquela fogueira que, espero, o senhor tenha pulado, ouvindo Luiz Gonzaga, comemorando com sua família em idos passados.
O senhor ainda faz uma pergunta aberta, querendo saber se as críticas ocorreriam se os artistas que criticam estivessem na grade. Faço questão de vestir a carapuça e lhe dizer com toda franqueza: sim. Enquanto dirigentes públicos buscarem o aplauso momentâneo de grupos que se locupletam da cultura, que estão ali apenas pela força e poder do dinheiro, serei um crítico feroz. Sou compadre de Luiz Gonzaga, e meu compadre me disse que "Moda é igual sapato velho. Todo ano a gente joga fora".
Então, Coordenador, ficamos assim. Eu daqui do meu lado defendendo a bandeira do que acredito como verdadeira cultura, mesmo indo de encontro ao que está "na moda". Estarei eu aqui, cantando para mais de 50.000 pessoas em Garanhuns, em honra ao Mestre Dominguinhos. E o senhor, daí, "profissionalizando" o "São João" de Campina Grande. Fazer uma grade de São João por conveniência não engrandece currículo de político algum. Desmerecer artistas que deram e dão o sangue e a vida pela cultura NORDESTINA é digno de vergonha. Não é digno de censura pois censura é o esconderijo dos covardes.
Parafraseando Vandré também, queria dizer que "somos todos iguais, braços dados ou não". Que tenho certeza que no fundo da alma dos atuais gestores de Campina Grande o que eles fazem está certo, e é o melhor para o povo. Do contrário não conseguiria viver nesse mundo. Não aceitaria pensar que gestores públicos estão pensando primeiro em cifrões e não em seus deveres com seus governados. Me entristece apenas saber que o estrago já estará feito, e será de difícil reparo, quando os senhores enxergarem o quão cegos e errados estão.
O que me preocupa é aquela criança de 5 anos, em formação de personalidade, que vai pela primeira vez com os pais ao Parque do Povo. Ela se verá no palco? Estará no palco uma representação de uma cultura dela, que ela possa se identificar, gostar, preservar e levar para seu futuro? Não. Estará no palco a representação momentânea e efêmera desses tempos loucos, de poucos valores e muitas desvirtuações que vivemos. Estará no palco a escolha de um gestor público pela moda, e não pela cultura. Estará no palco, ao vivo e a cores, a morte da cultura nordestina-brasileira. Aplaudida e cantada, uníssono.

Alcymar Monteiro,
Garanhuns, 21/04/2017"





24/04/2017
Um neófito ascende na França

O velho socialismo francês que tanto influenciou o esquerdismo latino, afundado na quinta posição das eleições presidenciais, onde os ínfimos 6% revelam o real tamanho da esquerda no mundo.

NR - Macron, que vai ao segundo turno com Le Pen, jamais participou de política e sua performance representa a tendência mundial de rejeição aos partidos e políticos tradicionais (de direita ou esquerda).

Aos 39 anos, pode repetir em maior dimensão a ascensão paulista de João Dória.





21/04/2017
Google ataca a má propaganda

O problema na internet com a baixa qualidade da publicidade que se torna invasiva aos usuários fez o gigante Google acordar e decidir dar um basta em relação ao seu navegador, o Chrome, o mais acessado do planeta.

Segundo o Wall Street Journal, o site de busca está determinado a implantar um bloqueador de propaganda no navegador, abrangendo todas as plataformas, do computador pessoal passando pelos tablets até aos celulares.

A iniciativa foi recebida como inesperada pelo mercado publicitário, já que a Google é uma das maiores empresas de propaganda, sendo a mais importante do mundo virtual com o controle de 30% dos anúncios digitais veiculados.

Ainda segundo o jornal econômico, entretanto, o filtrador de publicidade no Chrome não seria tão drástico quanto o famoso AdBlock Plus ou o Ghostery, entre outros semelhantes.

No caso específico do bloqueador da Google, a função é apenas eliminar a má propagada, tais como vídeos, pop-ups e grandes banners que comprometem todo o conteúdo da web.





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97