BLOG DO ALEX MEDEIROS

08/06/2018
Luis Suárez quase fica fora da Copa

O craque do Uruguai e do Barcelona deu um grande  susto na torcida uruguaia e nos seus admiradores que assistiam ontem amistoso em que a seleção celeste venceu o Uzbekistão por 3 x 0 no Estádio Centenário de Montevidéu.

Depois de reciber uma dura entrada de um zagueiro, Luis Suárez teve que sair de campo com uma pancada que abriu uma ferida no tornozelo, e que levou o setor médico da seleção a temer por algo mais grave. Felizmente, a lesão não tinha gravidade e o matador vai à Copa com seu apetite de gol afiado como sempre. Suárez marcou um dos gols da vitória.





08/06/2018
Inglaterra B vence a Costa Rica

Uma das favoritas nas bolsas de apostas e na mídia a ganhar a Copa do Mundo, a seleção da Inglaterra superou ontem a Costa Rica por 2 x 0, num amistoso em que mais uma vez - como vem fazendo o treinador Gareth Southgate - contou com um time misto.

Desde o 0 x 0 contra a seleção do Brasil em novembro de 2017, quando a Inglaterra usou até juvenis na partida disputada em Wembley, que o técnico não usa força total nos amistosos. A seleção inglesa que vai à Rússia é formada por uma nova geração, com jovens substituindo estrelas como Rooney, Terry, Ashley Cole, Gerrard e Lampard.





08/06/2018
Contusão tira Lanzini da Copa

O meia-atacante do West Ham, Manu Lanzini, rompeu os ligamentos no treino da Argentina e está fora da Copa.  Era um dos homens de confiança do técnico Jorge Sampaoli, que agora busca um substituto à altura.

Na imprensa da Argentina, os candidatos a ocupar a vaga aberta são Diego Perotti, que joga na Roma, Ricardo Centurión, do Racing, Leandro Paredes, do Zenit, Rodrigo Battaglia, do Sporting Lisboa, Guido Pizarro, do Sevilla, Pablo Pérez, do Boca Juniors, e Enzo Pérez, do River Plate.

Para os colecionadores do álbum da Copa não há desfalque, pois Lanzini não compõe as figurinhas da seleção alviceleste. Se acaso for convocado Enzo Pérez, então contempla o cromo já existente do jogador do River, de número 282.





08/06/2018
Espanhóis ganharão o dobro dos alemães

Quando a seleção da Espanha conquistou sua primeira copa, em 2010 na África do Sul, os jogadores do elenco receberam de prêmio 600 mil euros. Na copa seguinte, em 2014 no Brasil, o valor subiu para 720 mil.

Agora, o prêmio para uma conquista na Rússia dará a cada atleta da Fúria um mimo pecuniário de 825 mil euros, um valor bem superior ao que ganharão os jogadores do Brasil e o dobro do que receberão os da Alemanha.

 

Los futbolistas que disputaron el Mundial de Sudáfrica de 2010 ganaron 600.000 euros brutos por ser campeones. En el caso de Brasil 2014, el importe ascendía a 720.000 euros brutos, pero España fue eliminada en fase de grupos. otras selecciones
 





08/06/2018
Os homens mais ricos do esporte

Todo ano, a prestigiada revista Forbes publica suas muitas listas, onde tem destaque aquela que reúne os 100 desportistas mais bem pagos do mundo. E na nova edição, o boxeador americano Floyd Mayweather lidera pela quarta vez seguida, com US$ 278 milhões. Ou seja, invicto na lista e no ringue.

O segundo colocado é o craque argentino e ídolo do Barcelona, Lionel Messi, que fatura anualmente US$ 111 milhões, seguindo pelo português do Real Madrid, Cristiano Ronaldo, com US$ 108 milhões. O que chama atenção na nova lista é que entre 100 ícones dos esportes, não há uma só mulher.

O fato não acontecia há muitos anos e surpreendeu não apenas os responsáveis pela elaboração do ranking como também a mídia internacional, principalmente diante de uma conjuntura em que o mundo inteiro discute as disparidades salariais entre homens e mulheres, até em Hollywood.

Em 2017, por exemplo, a mulher desportista mais bem paga era a tenista americana Serena Williams, que recebia US$ 27 milhões/ano, o que a colocava na 51ª posição da lista. A liderança do pugilista imbatível deve-se ao aporte de uma gorda bolsa na luta especial que fez contra o irlandês Conor McGregor.

E é exatamente o lutador de UFC que acabou com a invencibilidade do brasileiro José Aldo quem ocupa a quarta posição, com US$ 99 milhões, à frente do jogador Neymar (5º) que fatura por ano US$ 90 milhões. O sexto lugar é do craque do basquete LeBron James, com US$ 85,5 milhões.

Em sétimo aparece o mito do tênis Roger Federer, com faturamento anual de US$ 77,2 milhões; em oitavo, outro jogador de basquete, Stephen Curry, com 76,9 milhões, seguido por Matt Ryan e Matthew Stafford, ambos do futebol americano, que recebem respectivamente US$ 67,3 e US$ 59,5 milhões.

Outro fato que chama a atenção é que entre os 100 mais ricos, estão 40 atletas do basquete da NBA. Confira abaixo os 20 mais bem pagos e suas modalidades:

1º Floyd Mayweather (Boxe) - 285 milhões de dólares
2º Lionel Messi (Futebol) - 111 milhões de dólares
3º Cristiano Ronaldo (Futebol) - 108 milhões de dólares
4º Conor McGregor (MMA) - 99 milhões de dólares
5º Neymar (Futebol) - 90 milhões de dólares
6º LeBron James (Basquete) - 85,5 milhões
7º Roger Federer (Tênis) - 77,2 milhões
8º Stephen Curry (Basquete) - 76,9 milhões
9º Matt Ryan (Futebol americano) - 67,3 milhões
10º Matthew Stafford (Futebol americano) - 59,5 milhões
11º Kevin Durant (Basquete) - 57,3 milhões
12º Lewis Hamilton (Automobilismo) - 51 milhões
13º Russell Westbrook (Basquete) - 47,6 milhões
14º James Harden (Basquete) - 46,4 milhões
15º Canelo Alvarez (Boxe) - 44,5 milhões
16º Tiger Woods (Golfe) - 43,3 milhões
17º Drew Brees (Futebol americano) - 42,9 milhões
18º Sebastian Vettel (Automobilismo) - 42,3 milhões
19º Derek Carr (Futebol americano) - 42,1 milhões
20º Rafael Nadal (Tênis) - 41,4 milhões





08/06/2018
Ezequiel enaltece papel social da Amico

Durante a solenidade que homenageou a Associação Amigos do Coração da Criança (Amico), nesta sexta-feira (8), na Assembleia Legislativa, o presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), destacou o papel social da entidade. Segundo ele, o trabalho realizado pela Amico motiva outras iniciativas e ainda compensa limitações do Poder Público.

"Reconhecemos hoje o papel social da entidade e também o incentivo que a mesma nos dá para que nos somemos à causa. Todos nós sabemos a limitação do Poder Público para atender todas as demandas da saúde, fato que só engrandece a importância do trabalho de Hércules desenvolvido pela entidade", declarou o presidente em sua fala, no plenário do legislativo.

Ezequiel Ferreira ressaltou também o esforço que é feito pelos muitos colaboradores da Associação. "Quem conhece a Amico sabe que, exceto a responsabilidade dos colaboradores, em nada o ambiente ali lembra uma tarefa a cumprir, mas sim um cuidado ou esmero na feitura de uma obra: lutar pela vida de crianças cardiopatas", disse ele durante a solenidade, direcionando palavras aos profissionais agraciados.

Ainda em sua fala, o presidente nominou alguns colaboradores da entidade que receberam placas de homenagem na solenidade. Foram eles: Marcelo Matos Cascudo, Alyne Melo da Silva, Flávia Freire, Thaís Matos Raposo, Marcella Alves de Vilar, Sâmia Tatiana Martins, Itamar Ribeiro de Oliveira, Renato Quaresma, Melina Tertuliano de Lima, Nilda Furtado da Rocha, Eulália Duarte Barros, Nailka Saldanha, Ênio de Oliveira Pinheiro e Aldenilde Rebouças Falcão. O deputado Hermano Morais (MDB) também recebeu honraria pelas relevantes contribuições à entidade.

A data escolhida por Ezequiel Ferreira, propositor da iniciativa, é alusiva ao 12 de junho, lembrado como o Dia da Cardiopatia Congênita, uma alteração na estrutura ou na função do coração, que atinge uma a cada 100 crianças brasileiras, razão de existir da Amico. A Associação atende mais de 900 crianças cardiopatas por ano no Rio Grande do Norte, viabilizando medicamentos e mantimentos, além de acompanhamento hospitalar.





07/06/2018
O carrasco perpétuo

A poucos dias do início da Copa do Mundo na Rússia, a FIFA resolveu envolver internautas do planeta inteiro nos diversos endereços das suas redes sociais. Criou uma espécie de tabela nos moldes da sua competição, confrontando (no lugar das seleções) craques icônicos de ontem e de sempre.

O resultado dos cruzamentos foi consequência dos prognósticos de mais de meio milhão de pessoas, imitando as simulações que são feitas nesses tempos de tecnologia disfarçada de entretenimento. Colocados previamente em oito grupos de quatro, trinta e dois craques foram selecionados no voto popular.

A intenção da FIFA era escolher na tabela simulada com ares de enquete aquele que seria o melhor jogador da história das copas. E quem foi glorificado pelo julgamento virtual foi o uruguaio Alcides Ghiggia, o mítico ponta direita que marcou o gol decisivo na final da Copa de 1950, no chamado "Maracanazo".

Gigghia estava no grupo um, ao lado de Pelé, Jairzinho (o ponta da Copa de 1970) e Oliver Khan, o goleiro alemão eleito o melhor da Copa de 2002. O uruguaio passou às oitavas com o rei e o superou, fazendo o mesmo com o holandês Cruijff, que havia vencido Cafu, Romário e Klose no grupo dois.

Na semifinal, Ghiggia bateu Ronaldo Nazário, que após ganhar o grupo três onde estavam Rivaldo, Bobby Charlton e Ronaldinho, passou também por Zidane, o ganhador do grupo quatro, formado por Garrincha, Thuram e Lahm.

Na outra banda da tabela, Iniesta perdeu a semifinal para Maradona. O primeiro passou por um funil composto por Buffon, Beckenbauer, Fontaine, Cannavaro, Paolo Rossi, Matthaus e Roger Milla, enquanto o segundo superou Yashin, Puskas, Baggio, Eusébio, Gerd Miller, Kempes e Bobby Moore.

Então aconteceu a final entre um uruguaio e um argentino, reproduzindo no embate pessoal o clássico continental que fechou a primeira Copa do Mundo em 1930 com vitória do país de Ghiggia sobre a nação de Maradona. Pena que o ponteiro que calou o Maracanã não estivesse vivo para festejar a eleição.

Evidente que nem o mais fanático torcedor da celeste diria que Ghiggia foi o maior jogador da história das copas, mas nenhum outro foi tão marcante numa copa quanto ele. Algo parecido só o heroísmo vingativo de Maradona contra a Inglaterra, em 1986, e o show épico de Garrincha no Chile, em 1962.

Eu tinha 11 anos quando ouvi falar de Ghiggia pela primeira vez. Era véspera de Brasil x Uruguai na Copa 70 e os adultos do bairro falavam na revanche vinte anos depois do fatídico 16 de julho de 1950. Quatro anos depois, entendi sua importância histórica ao vê-lo ilustrando o pôster oficial da Copa de 1974.

O ponteiro que traumatizou um povo inteiro tinha tudo para não ser um atleta de destaque; começou a carreira profissional só aos 21 anos num modesto clube de Montevidéu, o Sud América, da segunda divisão. Seu talento repercutiu na cartolagem do Peñarol e logo ele era um dos campeões do país.

Três anos após tomar a taça do Brasil no Maracanã, provocando um estrondoso silêncio de soluços, foi jogar na Itália, onde defendeu a Roma por várias temporadas, passou pelo Milan e voltou ao Uruguai para encerrar carreira no Danúbio. Morreu no dia do aniversário de 65 anos do Maracanã.

Na copa que o perpetuou como carrasco do Brasil, Ghiggia conseguiu um feito que a mídia transferiu para Jairzinho a partir de 1970: ele, e não o craque do Botafogo, foi o primeiro a fazer gols em todos os jogos de uma copa. Lembrava de 1950 dizendo "somente o papa, Frank Sinatra e eu calamos o Maracanã".





07/06/2018
Palestra sobre qualidade de vida para servidores

Longevidade com Saúde. A palestra com o professor Ronaldo Aoqui e a educadora física Leila Maia foi além da explanação de conceitos para uma melhor qualidade de vida. Através de uma dinâmica individual, os servidores da Casa Legislativa puderam avaliar e qualificar aspectos da sua rotina.

"É importante o equilíbrio de todos os aspectos", afirmou Aoqui. O professor se referiu à saúde física, social, emocional, mental, espiritual e profissional, elencadas num gráfico da "roda da vida", aonde, sob a forma de exercício, os participantes puderam avaliar cada item na sua rotina atual.

A palestra aconteceu no auditório Cortez Pereira, sede do Legislativo. O evento foi realizado pela coordenação de Gestão de Pessoas e diretoria de Políticas Complementares. A abertura contou com a presença da diretora administrativa e financeira, Dulcinéa Brandão, do diretor de Políticas Complementares, Ricardo Fonseca e do coordenador de Gestão de Pessoas Thyago Cortez.





06/06/2018
Mulheres dominam novo governo espanhol

Eleito para governar a Espanha por apenas um ano e meio, o novo presidente Pedro Sánchez impôs uma marca feminina nomeando nove mulheres e apenas três homens no corpo do seu ministério.

A composição ficou assim:

Carmen Calvo, vice-presidente e ministra da Igualdade.
Josep Borrell, ministro do Exterior.
Teresa Ribera, ministra da Energía e do Medio Ambiente.
María Jesús Montero, ministra da Fazenda.
José Luis Ábalos, ministro de Desenvolvimento.
Meritxell Batet, ministra da Administração.
Nadia Calviño, ministra da Economía.
Carmen Montón, ministra da Saúde.
Isabel Celáa, ministra da Educação.
Magdalena Valerio, ministra do Trabajo e Assuntos Sociais.
Pedro Duque, ministro de Ciência, Inovação e Universidades.
Dolores Delgado, ministra da Justiça.





06/06/2018
Prostituta e Imperatriz

Virginie Girod é uma bela e charmosa francesa de 35 anos, nascida em Lyon. Formada em História pela Sorbonne, se tornou uma especialista em história da antiguidade e profunda pesquisadora sobre sexualidade e feminismo ao longo da trajetória humana. É autora de vários livros sobre gente e fatos históricos.

Na semana passada, Virginie abrilhantou aquele que eu acho o melhor programa de televisão, o La Grande Librairie, no ar no canal TV5 Monde (que já enalteci aqui). Foi falar de uma nova obra, "Theódora, Prostituta e Imperatriz de Bizâncio", lançada em março último e ainda sem tradução para o português.

Com uma comunicação eloquente, como é praxe nos professores, e domínio da relação com as câmeras (ela também é comentarista de um outro canal), a historiadora falou sobre a biografia de uma garota ambiciosa de Constantinopla que caiu na prostituição, casou com o imperador e reinou ao lado dele.

Segundo as narrativas dos intelectuais convidados pelo apresentador François Busnel, até a chegada do livro de Virginie Girod a imperatriz Theodora era considerada por alguns historiadores uma personalidade romanesca, teatral e doidivanas, visões talvez forjadas na sua fama de mulher sedutora e fatal.

Para a autora, é provável que não se encontre na história da antiguidade um mesmo destino de uma mulher tão bela, prodigiosa e enérgica quanto Theodora, que viveu no século VI durante o esplendor político e econômico do Império Bizantino, legado da grande civilização romana no Mediterrâneo.

Por maior que tenha sido o domínio machista ao longo dos séculos, Theodora conseguiu dividir o poder imperial do marido, dezessete anos mais velho, influenciando-o nas tomadas de decisões ou determinando sozinha estabelecimento de leis, assim como demissões e nomeações chefes militares.

No histórico e famoso Código Justiniano, ela instigou o marido a acrescentar cláusulas em favor das mulheres, capítulos sobre casamento, divórcio, adultério e prostituição, esses dois últimos com conhecimentos de causa. No período em que Bizâncio escolhia os papas, alguns contaram com sua escolha.

Theodora é personagem central do polêmico Concílio de Constantinopla, realizado em 543 DC, quando o conceito da reencarnação foi suprimido das novas versões da Bíblia. Um pedido ardoroso feito a Justiniano por causa do passado sexual e das sentenças de morte na vida pregressa da imperatriz.

Virginie Girod narra também, com um senso crítico de historiadora exigente, o retrato geopolítico e humano de Bizâncio, como já fizera na biografia de Agripina, a mãe do imperador romano Calígula. Na nova biografia, ela busca também como nos outros contextualizar a sexualidade no mundo antigo.





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92