BLOG DO ALEX MEDEIROS

12/07/2016
Michael Jackson teria abusado de Macaulay Culkin

Na véspera do Dia Mundial do Rock, surge rumores na mídia americana de um novo escândalo envolvendo a figura do rei do pop Michael Jackson, tantas vezes acusado de preferências sexuais por crianças após acharem material pedófilo em sua mansão.

Agora circula a notícia de que o ator Macaulay Culkin, protagonista do clássico "Esqueceram de Mim", teria confessado um abuso sexual sofrido por Michael Jackson ao tempo dos dois filmes que o fizeram famoso, quando tinha somente 10 anos.  

"Michael e eu fomos grandes amigos, ele me amava e eu também cheguei a amá-lo, ele me contava histórias e foi uma espécie de guia para mim. Eu era muito jovem e ao mesmo tempo famoso; para mim uma vida normal não era uma opção e sua amizade me ajudou a lidar com meus problemas", disse o ator, hoje com 36 anos.

Uma minuciosa investigação iniciada em novembro de 2003 pela polícia de Santa Bárbara. na Califórnia, concluiu que na mansão Neverland do cantor havia fortes indícios dos desejos sexuais por menores. Um repórter policial chegou a publicar detalhes dos objetos, como fotos de meninos nus e filmes pornográficos com adolescentes e adultos.





Veja o video:

12/07/2016
Na busca por Pokémon, achou um defunto

O game com características de rede social Pokémon Go virou uma febre mundial e levou os internautas do planeta a passarem mais tempo no jogo da Nintendo do que em redes como Twitter, WhatsApp, Tinder e Instagram.

De Tóquio a Natal, de Sidney a Mar Del Plata, milhões de usuários de celulares apontaram o aparelho para o infinito, ou para o nada, na procura dos pokémons, que surgem às pencas nos mais inusitados locais, desde um canto de parede a um prato de sopa.

O fenômeno já fez a Nintendo subir quase US$ 8 bilhões em seu valor de mercado. Os acessos no mundo inteiro foram tantos que em vários países o jogo teve que ser bloqueado por não suportar o volume de participantens.

Nos primeiros dias, na praça de alimentação de um shopping de Natal, alguém gritou que havia achado um Pokémon numa mesa e provocou uma ação coletiva com dezenas de jovens e adultos apontando seus smartphones para os espaços do lugar.

Em algumas cidades americanas e europeias, golpistas aproveitaram o sucesso do jogo para distrair jogadores e roubar-lhes os aparelhos celulares. Ontem, a GloboNews dedicou longos minutos de discussão em sua programação sobre a febre do Pokémon Go.

Mas um dos casos mais estranhos ocorreu no estado de Wyoming, nos EUA, com uma garota de 19 anos chamada Shayla Wiggins. Após baixar o aplicativo do jogo, ela seguiu as indicações e viu que havia diversos pokémons num parque em que curtia suas férias escolares com a família.

Quando apontou seu telefone para um lago, no intuito de apanhar um pokémon aquático (eles são 151 bichinhos de várias características), Shayla acabou se deparando com um cadáver de um homem que boiava. Assustada, ela chamou seus pais e a polícia do lugar.

Em fase de testes, mas já um sucesso absurdo, o Pokémon Go consiste em convidar os "treinadores" a passear pelas ruas para encontrarem e apanharem todos os monstrinhos. Também podem ser formados grupos para uma disputa de domínio dos chamados "ginásios".

O game utiliza a geolocalização, onde cada jogador vê no mapa as perspectivas de presença de pokémons nas proximidades. Mas essas informações, entretanto, também estão sendo usadas por ladrões. Segundo o jornal inglês The Guardian, os bandidos planejam o roubo de "treinadores" descuidados que circulam em lugares de pouco movimento.





12/07/2016
Cursos para jovens na Escola da Assembleia

Ela gosta de ler sobre atualidades, ir ao cinema, sair com as amigas e suas disciplinas preferidas são biologia, português e inglês. Já ele gosta de praticar judô e musculação, de automobilismo, ler livros de empreendedorismo, estudar biologia, química e português, mas diferente da maioria dos jovens de sua idade, não gosta de futebol. O que eles têm em comum? Ambos têm 16 anos e são os alunos mais jovens a realizarem cursos na Escola da Assembleia.

O nome dela é Lissa Araújo, aluna do 2º ano do ensino médio do Instituto Sagrada Família, moradora do bairro de Cidade Satélite. Soube da existência da Escola da Assembleia através do seu avô materno, que após se matricular num dos cursos falou à neta sobre a instituição. "Meu avô veio à Escola e ao voltar para casa, me falou com entusiasmo dela. Fiquei curiosa para conhecer. Vim, achei muito legal e de cara me inscrevi no curso de redação", revela a adolescente.

Matriculou-se no curso de Português - Técnicas de Redação, com o objetivo de obter um melhor desempenho na escrita, pois este ano prestará o exame do ENEM para Medicina "Achei o curso muito legal e bastante proveitoso. Nele aprendi dicas e técnicas de redação, que jamais tinha visto na minha escola. Sem falar no excelente nível da professora que nos transmitiu o conteúdo com muita segurança.

Hoje me sinto mais preparada para o ENEM", declara Lissa. Questionada se pretende realizar novos cursos na Escola da Assembleia, a estudante foi enfática na sua resposta. "Sem dúvida. Quero sim realizar novos cursos, inclusive repetir o curso de redação, caso seja oferecido novamente. Pretendo estar ainda melhor preparada".

Ele se chama Paulo Victor Henriques da Silva, mora em Nova Parnamirim, e cursa o 1º ano do ensino médio no Colégio Piaget. Na Escola da Assembleia realizou os cursos de Corel Draw/Photoshop, por se interessar em "inventar e mexer com imagens". Durante todo o curso teve a companhia do padrasto Carlos Átila. Assim como Lissa, demonstrou satisfação não apenas com o conteúdo do curso, mas também, com o nível do professor.

"O conteúdo adquirido foi muito bom. Muita coisa que eu ainda não sabia, tive acesso nas aulas. Outra coisa que me impressionou foi o nível do professor, além da atenção e da preocupação que teve com os alunos. Ele se dirigia a cada um de nós para saber das dificuldades e não só buscou solucionar nossas dúvidas, como as resolveu realmente", ressaltou Paulo Victor.

Também como Lissa, Paulo irá prestar o exame do ENEM, só que para o curso de Administração de Empresas. Outro ponto em comum entre os jovens é o de que pretendem retornar à Escola da Assembleia para a realização de novos cursos.

Os exemplos de Lissa e Paulo Victor podem ser seguidos por muitos outros jovens. A Escola da Assembleia está com inscrições abertas para 100 novos cursos neste segundo semestre. Confira a programação no site www.al.rn.gov.br/portal/escola ou ligue 3232.1001.





12/07/2016
Livres vs PT, o UFC eleitoral

Foi só uma amostra grátis do que será a campanha para prefeito de Natal no confronto dos candidatos do PT, Fernando Mineiro, e do Livres, Karol Diniz, legendas antagônicas que hospedam radicais de esquerda e de extrema direita.

No primeiro debate entre pré-candidatos, organizado pela TV União, no sábado, os ânimos se alteraram verbalmente na participação dos dois oponentes. Diniz chamou Mineiro de representante da maior organização criminosa do País e foi replicado como um doente que precisa de médico.

O candidato do Livres disse que é preciso livrar o Brasil do "lixo" e da "mundiça" do PT. Mineiro acusou a face fascista do adversário e falou que a intolerância é uma doença que precisa ser tratada. O vídeo do embate se espalhou pelas redes sociais.





11/07/2016
Brasil deve despencar no ranking FIFA

A FIFA deverá divulgar uma nova atualização do seu ranking de seleções na próxima quinta-feira, quando concluir a tabulação dos últimos resultados nas duas principais competições do gênero, a Copa América e a Eurocopa.

Muito provavelmente, as seleções que estarão na cabeça do ranking serão as finalistas dos dois torneios e outras que adicionaram novos bons resultados ao desempenho que vinham conseguindo anteriormente.

Portugal, Chile, França e Argentina ficarão bem na fita. No momento os argentinos são líderes do ranking, graças às duas finais conseguidas na Copa do Mundo 2014 e na Copa América 2015. (ganhará mais pontos pela final da Copa América 2016).

Juntas ao quarteto deverão estar as seleções da Alemanha, Itália, Colômbia, Espanha, Bélgica, Inglaterra e até País de Gales. Os especialistas nos critérios de pontuação da FIFA já estão prevendo que o Brasil poderá ficar fora do top 15.

Se ficar fora da lista das 15 melhores, a seleção canarinho cai numa posição próxima do seu pior desempenho, em 2013, quando despencou para 18º lugar. O novo técnico Tite ficaria então com a missão de recomeçar do fundo do poço, onde Parreira, Felipão e Dunga a enfiaram.

PS - O novo ranking FIFA será divulgado no dia 14 de julho, data em que a França comemora sua maior data, da tomada da Bastilha. Os dirigentes, jogadores e torcedores esperavam comemorar também a liderança na lista das melhores do mundo.





11/07/2016
Os campeões improváveis

Lisboa se transformou numa maré de gente, num tsunami de emoções. A capital portuguesa nunca viu tantas pessoas nas ruas desde novembro de 1755, quando o terremoto arrasou tudo. Ontem, porém, era o mundo todo surpreendido, menos Portugal.

Longe de Lisboa, mais gente festejou em Londres o título português da Eurocopa. Eram os azarões das apostas que acreditaram no improvável e cravaram a "seleção das quinas" nas famosas casas de prognósticos esportivos da capital britânica.

Quando o torneio iniciou as quartas de final, ninguém em estado normal de atenção - imune ao emocional de torcedor - arriscaria apontar Portugal, País de Gales ou Islândia com chances de chegarem, ao menos, na partida decisiva. Havia os grandes no meio.

As apostas se dividiram entre a campeã mundial Alemanha, a sempre terrível Itália e a anfitriã França com sua jovem geração comandada pelo craque Griezmann. Os lusos e os galeses tinham apenas o brilho individual de seus mitos: Ronaldo e Gareth Bale.

Quiseram os deuses do futebol que ambos travassem duelo na semifinal, e aí se impôs a estrela do maior deles, o herdeiro legítimo do trono do rei Eusébio. E lá foi Ronaldo em busca da glória que faltava a Portugal, o título continental que escapou em 2004.

O time passou pela primeira fase sem ganhar um jogo no tempo regular. Lembrou a Itália de 1982 que ao empatar três jogos adentrou as fases seguintes vencendo e derrubando a superseleção favorita do Brasil. Aí Ronaldo se agigantou sobre Gales.

Quando passou pela Alemanha, num jogo insosso que iludiu seus torcedores com dois gols, a França confirmou as suspeitas de um favoritismo que desde o começo existiu nas casas de apostas e nas análises da mídia esportiva. Era a marcha da Marselhesa.

A grande final não foi um jogo digno de uma apoteose, como em históricas decisões das copas (vide o Brasil de 70, a Alemanha de 74, a Argentina de 86 e a França de 98). Quando Ronaldo deixou o campo, os franceses dominavam o jogo na posse da bola.

Impossível não fazer comparações naquela imagem do craque português sentado, chorando e acariciando sua dor. A imprensa e as redes sociais resgataram o drama de outro Ronaldo, o brasileiro, impotente no mesmo Stade de France, em julho de 1998.

Havia, no entanto, uma diferença. Se o brasileiro se ausentou do jogo em corpo e alma, o português era ele próprio a alma da sua seleção; e assumiu o comando emocional dos seus companheiros, ditando do banco os caminhos para uma vitória quase impossível.

Mas, como o impossível só existe até que apareça alguém para duvidar e provar o contrário, como pregava o cientista Albert Einstein, a seleção de Portugal avançou sobre a sombra do favoritismo francês e com um gol solitário iluminou a história do país.

Contra toda a improbalididade, a equipe driblou a lógica e conquistou pela primeira vez uma taça de campeão continental. No Panteão dos Heróis, o espírito de Eusébio se levantou e paira desde ontem, glorificado em Ronaldo, sobre uma Lisboa em festa.





11/07/2016
Sísifo e o chilique dos poderosos

"A pior ditadura é a do Poder Judiciário. Contra ela, não há a quem recorrer", disse Rui Barbosa. A sentença do jurista soteropolitano cabe como uma luva no sentimento de um ateu como eu, quando imagino uma Alta Corte de Justiça prenhe de pecados.

Diferente é quem professa uma fé religiosa e pode rogar a um deus onipotente quando falha a justiça dos homens. Já ao ateu, não. Quando lhe falta a justiça, cai sobre ele a tragédia de Dante, e só tem que abandonar toda a esperança no barco de Caronte.

Fui menino e adolescente durante o regime militar, vi e participei das campanhas pela volta do voto livre, acompanhei cada passo do processo de redemocratização e da devolução do poder republicano aos civis e aos partidos políticos de distintas cores.

Desde então, não me lembro de algum mandatário manifestar-se jurídica ou policialmente contra a prática da opinião e do pensamento. Minha geração fritou Fernando Collor nos muros e camisetas, massacrou José Sarney em textos e charges.

Nem o alagoano nem o maranhense moveram um só advogado na abertura de processo, cível ou criminal, visando censurar uma crítica, por mais dura que esta fosse. FHC e Lula experimentaram conjuntura semelhante e absorveram tudo democraticamente.

Desde a campanha eleitoral que elegeu Dilma Rousseff, as ruas do Brasil foram invadidas por bonecos gigantes (e também portáteis) representando a petista e seu padrinho político Lula. Outros petistas menores também são alvos da picardia urbana.

Apesar da ira canina da militância vermelha, ninguém foi levado às barras dos tribunais por despejar de forma irônica no passeio público seu sentimento de oposição ao PT. Mesmo na mídia, jornalistas nada sofreram por seus artigos supostamente violentos.

Mas, bastou uma piadinha aqui, um bonequinho acolá, e um assessor do presidente do STF Ricardo Lewandowski, subiu nas tamancas da deusa Themis e, confundindo a venda dos seus olhos com cegueira, apelou à Polícia Federal para punir os críticos.

A reação de duas vias pede para investigar também os que andam por aí, nas passeatas, falando mal do colega Rodrigo Janot, o procurador-geral da República, alvo de outro pixuleco. Os bonecos foram batizados com os nomes de "Petrolowski" e "Enganô".

Nem os generais fartos de poder absoluto chegaram a tanto com o humor cortante da turma do Pasquim nos anos 1970. No máximo, enviavam um censor - geralmente um burocrata - para conversar com Tarso, Jaguar, Sergio Cabral, Millôr, Ziraldo...

No Brasil de hoje, onde o humor não anda lá muito inteligente (diga-se), alguns chiliquentos do Judiciário e do Ministério Público, vez em quando, misturam a vaidade e o espírito autoritário num mesmo armário e quando saem de lá é uma frescura só.

"A liberdade absoluta mete a justiça a ridículo. A justiça absoluta nega a liberdade", afirmou o escritor e filósofo franco-argelino Albert Camus em seu ensaio "O Mito de Sísifo". A pedra de Lewandowski e de Janot ainda precisa subir e descer muitas vezes.







08/07/2016
Lula volta ao ataque

O PT voltou a ter esperanças no retorno de Dilma Rousseff ao Planalto. Os últimos acontecimentos político-policiais atingindo figuras próximas a Michel Temer, como Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, reanimaram as lideranças petistas.

Tanto que Lula voltou a atacar e está de volta à Brasília, encastelado no Hotel Golden Tulip onde armou casamata para buscar votos em favor de Dilma na reta de chegada do julgamento do impeachment no plenário do Senado.

Nos primeiros contatos com senadores da base dilmista e com indecisos da oposição, Lula usou todo o poder verbal e o feitiço peculiar para dizer que a vida vai melhorar para todos quando Dilma sentar de novo na cadeira de comando.

Na próxima semana, faz um périplo pelo Nordeste, visitando a Bahia, o Ceará e Pernambuco. Nada de RN na agenda, pois aqui só tem o voto de Fátima Bezerra e a oposição bem definida dos outros dois senadores, José Agripino (DEM) e Garibaldi Filho (PMDB).





04/07/2016
Leiloando o marketing

Às favas com os escrúpulos. A antiga frase de Jarbas Passarinho na imposição do Ato Institucional nº 5 pelo general Médici nunca sai de moda, principalmente no ambiente dos negócios e da política, geralmente misturados em ano eleitoral como este 2016.

Há poucos dias, um parente de um candidato encontrou a forma mais fácil de convencer um marqueteiro a baixar o preço pedido para tocar a campanha que está quase começando. Pediu outras propostas a dois outros marqueteiros, e quando viu que ambas eram menores que a do primeiro foi a ele que, de pronto, barateou.

Não precisa dizer que os outros dois, no papel de tapias do leilão, ficaram decepcionadamente irados com a técnica utilizada pelo parente do candidato.  





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92