BLOG DO ALEX MEDEIROS

01/05/2019
Futebol também é pop

Depois do sucesso do tributo Fagner Pop, que atraiu cerca de 500 fãs do cantor Raimundo Fagner na última sexta-feira, o bar e petiscaria Me Leve, na Candelária, começa neste feriado de 1 de maio a exibir os jogos do Brasileirão.

Aberto a partir das 10h da manhã, o local terá imagem digital com os principais jogos da rodada de hoje, como Inter x Flamento, Cruzeiro x Ceará, Corinthians x Chapecoense, CSA x Palmeiras, Avaí x Grêmio e Goiás x São Paulo.

       



01/05/2019
A volta das letras lavadas

Pelo RN afora está retornando uma velha prática que parecia extinta ou, pelo menos, controlada pela vigilância do Ministério Público e do Tribunal de Contas.

Há prefeituras se utilizando, como antigamente, de esquemas gráficos superfaturados para lavar dinheiro público que sai dos cofres do povo e volta como dinheiro privado para as contas dos pseudo gestores.

Abre o olho, MP!

       



Veja o video:

01/05/2019
Macaiba está fazendo mais

       



30/04/2019
Woodstock seja aqui

As comemorações dos 50 anos do festival de Woodstock, ocorrido em agosto de 1969, geraram muita antecipação na imprensa, mas ao mesmo tempo diversos problemas financeiros que acabaram inviabilizando a iniciativa de Michael Lang, o promotor do festival original na cidade de Bethel, EUA.

Após ficar sabendo há algumas semanas que vários artistas convidados não estavam recebendo os cachês prometidos, e diante da lentidão que atrasava a venda de ingressos, a Billboard e o jornal The New York Times relataram no fim de semana que a festa que pretendia lembrar o encontro hippie furou.

O evento seria realizado entre os dias 16 e 18 de agosto, em Watkins Glen, Nova York, repetindo três dias do show histórico e deixando fora apenas o dia 15, data da abertura naqueles dias de cinquenta anos atrás. Entre os artistas convidados estava um remanescente de 69: o guitarrista Carlos Santana.

Michael Lang chamou para o remake Jay-Z, Chance the Rapper, The Killers, Miley Cyrus e Black Keys, entre outros já devidamente divulgados num cartaz que imitava a estrutura gráfica do velho cartaz do primeiro festival. Além da má gestão, convém alertar que seria difícil repetir a história com tal elenco, né?

O festival de Woodstock de 1969 foi um ponto nevrálgico na curva perigosa da conjuntura política e comportamental daquela década de conflitos, rupturas e descobertas. Não é fácil reproduzir agora a catarse daqueles quatro dias em que o amor livre, as notas soltas e a sincronia cósmica imperava no terreno.

Não que tenha sido o primeiro festival do gênero, posto que Monterrey Pop já havia sacudido a Califórnia dois anos antes, apresentando ao mundo uma dupla que faria disparar os batimentos cardíacos dos amantes do rock: Jimi Hendrix e Janis Joplin. Na produção tinha até os Beatles e os Beach Boys.

Mas em 69 quando a imprensa de Nova York percebeu uma espécie de êxodo, com milhares de jovens coloridos e despenteados seguindo em direção à cidade de Bethel, centenas de borboletas bateram as asas no outro lado do mundo, desencadeando o que seria uma revolução musical nunca visto.

Entre dezenas de cantores e músicos, estavam no cartaz The Who, Janis Joplin, Joe Cocker, Jimi Hendrix, Jefferson Airplane, Creedence, Grateful Dead, Crosby, Stills, Nash & Young e Santana. Perceba só na amostragem a abissal diferença com o cast que Lang esperava festejar o cinquentenário da coisa.

Woodstock foi o destampar da chaleira, a fissura nuclear no espaço-tempo da música universal, um epicentro contracultural que logo espalhou-se pelo planeta, como a onda de poeira incendiária de um meteoro alterando a geografia humana da Terra. Milhares de cidades logo inventaram festivais.

Nos casulos que multiplicavam filhotes de Woodstock, entre aquele 1969 e os anos que avançaram pela década seguinte, até Natal se deixou influenciar, demonstrando sua tendência histórica de interagir com os novos movimentos, como já fizera muitos anos antes com a poesia e os manifestos artísticos.

Apenas quatro anos depois do gigantesco festival em Nova York, o microcosmo do estadiozinho Juvenal Lamartine, no Tirol, abria seu pequeno portão para receber no gramado em que brilharam Jorginho, Véscio, Alberí e Marinho Chagas, uma centena de cabeludos para o Festival do Sol. Era a geração que seria espelho e lanterna da minha. Natal também era Woodstock.

       



30/04/2019
Venezuela em convulsão social

Poucas horas após o líder oposicionista Juan Guaidó postar no Twitter uma mensagem de que teria apoio das Forças Armadas para iniciar uma tomada de poder, pondo fim à ditadura comunista de Nicolás Maduro, uma série de conflitos explodiu em diversas cidades da Venezuela, com muitos confrontos entre manifestantes e policiais que ainda respondem ao governo.

Analistas internacionais acham que a oposição conseguiu furar o cerco da hegemonia militar que dava sustentação a Maduro e que agora Guaidó conseguiu apoio de oficiais de alta patente que romperam com o regime bolivariano. 

Enquanto o oposicionista garante que os militares estão unidos em definitivo com ele para derrubar o governo, porta-vozes do ditador denunciam que agentes da CIA estão no país incitando revoltas nas cidades. O regime ainda tem o apoio dos governos da Rússia e de Cuba, mas não se sabe se há militares de ambos em território venezuelano.

Também pelo Twitter, Maduro postou mensagem condenando o que chama de tentativa de golpe de Estado organizado pela oposição. Um outro líder oposicionista, Leopoldo López, que estava preso por ordem do ditador, foi libertado hoje e se encontra numa base militar na cidade de Carlota.

No Brasil, o general Augusto Heleno disse que está acompanhando os acontecimentos no país vizinho na companhia do presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que ainda não tem uma informação clara sobre a situação, de como estão as forças armadas venezuelanas de fato, e que por isso o governo brasileiro não irá se posicionar agora. Vai esperar respostas do setor de inteligência da Marinha, da Aeronáutica, do Exército e da ABIN - Agência Brasileira de Inteligência.

Na cidade de Boa Vista, em Roraima, o deputado federal potiguar General Girão (PSL) está na companhia do colega Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República, onde visitaram venezuelanos exilados, e se dirigem para Pacaraima que faz fronteira com o país em conflito. Os dois passarão informações ao Planalto.

       



30/04/2019
Médico da seleção destaca livro de Maeterlink

Pentacampeão mundial pela seleção brasileira em 2002 e também médico nas três Copas do Mundo seguintes, o ortopedista José Luiz Runco destaca o livro Doutor no Futebol e na Vida, depoimento biográfico do médico do América(RN), Maeterlinck Rêgo ao jornalista Rubens Lemos Filho. O lançamento será dia 8 de maio às 18 horas na sede social do América(salão 2) no Tirol em Natal.

"Me sinto muito honrado em poder passar para os leitores, o quanto o amigo Maeterlinck Rêgo Mendes participou desde os primórdios da Medicina Esportiva no Brasil, lutando incessantemente para qualificar e dignificar o Médico que tem a sua vida profissional ligada às atividades esportivas até o dia de hoje", afirma Runco na contracapa do livro, ressaltando o pioneirismo de Maeterlinck Rêgo na Medicina do Esporte, o que culminou com a criação da Comissão Nacional de Médicos de Futebol.

Maeterlinck Rêgo acaba de conquistar, com o campeonato estadual, seu 51o troféu no América, onde começou a trabalhar ainda acadêmico em 1971. No quase meio século, passagens vitoriosas, intrigas de bastidores e detalhismo na revelação de causos do mundo boleiro, característica do estilo irreverente de Maeterlinck, coordenador médico da Copa do Mundo/2014 em Natal e médico da seleção brasileira SUB20 em 2008.

O livro não trata apenas de futebol. Mostra a persistência de um menino nascido em Macau, região salineira do Estado que, cedo, desembarcou com a família em Natal descobrindo o encantamento das peladas e estudando no Colégio Marista com bolsa obtida em prova do Ministério da Educação, até concluir o curso de Medicina. Congressos, traições, espertezas de jogadores e o amor desmedido pelo América formam a essência do livro.

       



29/04/2019
A entrevista do chefe da Orcrim

Da conversinha do presidiário Lula, a coisa mais ridícula foi a postura militante da dupla Mônica Bergamo e Florestan Fernandes Jr., que abdicaram do jornalismo com uma postura de redatores de panfleto de comitê partidário.

Já o chefete do partido das companheiras de grelo duro tem a utilidade de um pênis amputado.

       



29/04/2019
Sinsp denuncia Fátima Bezerra

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do RN, Janeayre Souto, lançou nova mensagem nas redes sociais criticando duramente o aumento de 16,38% que a governadora Fátima Bezerra autorizou para procuradores da Assembleia e do Estado. E chamou a mensagem de preconceituosa e discriminatória.


A presidente do Sinsp destacou o atraso de quatro folhas de pagamento dos servidores e os mais de nove anos sem aumento de todos, numa defasagem salarial de mais de 64%. Janeayre bateu com ironia no aumento dos salários da própria governadora Fátima e do vice-governador Antenor Roberto.

Convém lembrar que a líder sindical e outros dirigentes do Sinsp são filiados ou militantes do PT, o partido da governadora potiguar.

       



29/04/2019
Divergente não é antagonista

Na semana passada, em apenas 72 horas, o presidente Jair Bolsonaro teve divergências com Hamilton Mourão, o vice; Paulo Guedes, o salvador da economia; e Sergio Moro, o superministro.

Divergências que a grande imprensa tentou vender como antagonismo, que é bem diferente. O que houve foi só colisão de opiniões.

       



29/04/2019
A Netflix vence Hollywood

A American Film Academy não vai vetar o Netflix e as outras plataformas na disputa do Oscar. Após intenso debate em Hollywood, com vozes respeitáveis contra o serviço de streaming nos grandes prêmios do cinema americano, as plataformas de cinema serão permitidas nas nomeações e premiações.

Este anúncio significa que, apesar da cruzada liderada por Steven Spielberg e outros grandes cineastas contra filmes como Roma, o Conselho da Academia de Cinema, considerou que a proposta de mudar os regulamentos de indicação ao Oscar não é necessária. "Nossas regras já exigem exibições nos cinemas", disse John Bailey, atual presidente da Academia.

Após a reunião, Bailey acrescentou que a Academia "apoia a experiência cinematográfica como parte da arte do cinema", e afirmou que isso "teve muita presença" nas discussões do Conselho. "Planejamos estudar essas mudanças profundas que estão ocorrendo atualmente em nosso setor, por isso continuaremos a discutir essas questões com nossos membros", concluiu.

Portanto, a Regra Dois, que afirma que um filme pode ser escolhido para o Oscar se for mantido pelo menos sete dias em um cinema em Los Angeles, permanece intacto. Assim, ambos os filmes que são distribuídos em vídeo sob demanda e outros de curta distribuição por razões orçamentárias podem ser elegíveis para a corrida dos prêmios americanos.

A reunião do Conselho aprovou, pelo contrário, outras mudanças significativas em seus prêmios. O primeiro deles afeta a categoria de Melhor Filme em Língua Inglesa, que será renomeada como Melhor Filme Internacional.

"Nós pensamos que a referência a filmes como 'Estrangeiros' é obsoleta em relação à comunidade cinematográfica global", comentaram Larry Karaszewski e Diane Weyerman, co-presidentes do Comitê Internacional de Cinema. "Acreditamos que a International Film representa melhor essa categoria e promove uma visão positiva e inclusiva do cinema como arte e experiência universal", concluíram.

Os indicados para a 92ª edição da Festa do Oscar serão anunciados em 13 de janeiro de 2020, e a cerimônia de gala em que as estatuetas serão entregues será realizada em 9 de fevereiro, muito provavelmente no Teatro Dolby, onde ocorreu o de 2019. A vitória da Netflix favorece outras plataformas como Amazon Prime, HBO GO e Fox Premium.

       



1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20