BLOG DO ALEX MEDEIROS

28/05/2018
Amistosos Rússia 2018

As seleções que irão à Copa do Mundo iniciam hoje os últimos amistosos antes de partirem para a Rússia. Até mesmo as que não estarão lá, como a Itália, Holanda e Chile, atuam como treinamento para eventos posteriores, como Eurocopa e Copa América.

Pela manhã, a Coreia do Sul venceu Honduras por 2 x 0. Às 13h tem a Sérvia contra Montenegro, um rival regional; enquanto a Nigéria enfrenta o Congo.

Mais três jogos - com quatro seleções da Copa - acontecem às 15h45: Turquia x Irã, Itália x Arábia Saudita, Portugal x Tunísia. E às 16h jogam França x Irlanda.

À noite jogam EUA x Bolívia (19h30) e México x País de Gales (22h). 





28/05/2018
Nas copas da História - III

Em 1966, a anfitriã Inglaterra venceu a Copa do Mundo; mas apesar de contar com uma boa geração de jogadores carregaria a imagem de uma conquista injusta contra os alemães e um percurso na tabela empurrado com o auxílio generoso da arbitragem, principalmente na partida das quartas de final contra a Argentina.

O confronto que entrou para a história das copas como "o jogo da vergonha" ocorreu às 16 horas (meio-dia em Natal) do dia 23 de julho em Wembley. No gramado alguns craques: os ingleses Gordon Banks, Bobby Charlton e Bobby Moore e os argentinos Ermindo Onega, Luiz Artime e Oscar Más.

As duas equipes fizeram um duelo vigoroso e malicioso, onde os argentinos saíram de campo acusados de violentos, mal-educados e mandingueiros, quando em verdade só reagiram às pancadas discretas dos ingleses. No primeiro tempo foram 14 faltas dos britânicos contra 12 dos latinos, uma estatística alta para a época.

Aos 3 minutos de jogo, Jack Charlton empurrou o capitão argentino Rattin, famoso por não levar desaforo pra casa. Aos 5 minutos Bobby Moore põe a mão na bola e Rattin reclama ao juiz alemão Rudolf Kreitlein, que faz ouvido de mercador (na verdade ele não entendia patavinas de espanhol).

Três minutos depois, quando o meia Jorge Solari derruba o atacante Alan Ball, o meia Nobby Stile (que só jogava sem a dentadura) começa a trocar gentilezas com o lateral Roberto Ferrero. Novamente Rattin tenta se fazer escutar pelo árbitro, que olha atravessado para o capitão da albiceleste.

A torcida decide provocar também os argentinos e as vaias passeiam nas arquibancadas de Wembley. Um minuto depois, o lateral George Cohen vinga Alan Ball e bate em Solari, que corre para mostrar ao juiz a marca da educação inglesa em sua coxa. E era apenas o começo do primeiro tempo do jogo.

A Inglaterra tenta ser rápida no ataque, mas a Argentina cadencia e marca bem os atacantes rivais. Jack Charlton faz uma falta em Rattin, que outra vez reclama ao dono do apito. O alemão estava se irritando com seus queixumes. O xerife argentino passa a marcar Jack de perto, e lhe dá duas bordoadas.

A quinze minutos de acabar o primeiro tempo, o craque Bobby Charlton resolve vingar as pancadas no irmão e acerta Rattin, que depois revida com uma falta violenta. Armada a confusão, ele cospe no ícone do Manchester United e quase pega o atacante Roger Hunt com um pontapé. O juiz o expulsa.

O jogo é interrompido numa ópera bufa de gritos e gestos. O árbitro alemão justifica a expulsão pela cara feia que Rattin fez pra ele, e não pelos desaforos que não entendeu. Apesar do craque Artime ser apelidado de "astro de cinema", era o capitão quem estava sendo excluído por pura encenação.

Após 15 minutos de confusão (que serviu para a FIFA criar cartões vermelho e amarelo para a Copa 70), em que todos os jogadores argentinos deixaram o campo, ficando apenas Rattin reivindicando um tradutor, a partida retornou, mas sem antes o expulso cuspir e amassar uma bandeira inglesa e fazer gestos obscenos para a tribuna de honra, onde estava a comitiva real.

Um gol no fim do jogo de Geoff Hurst botou a Inglaterra na final e fez os argentinos tentar invadir o vestiário dos rivais. Lá dentro, Jack Charlton gritava "deixe eles entrarem, eu luto com todos". Por causa do conflito, a FIFA instituiu os cartões amarelo e vermelho na copa seguinte, 1970. Em 1982, Charlton e Rattin assistiram a Guerra das Malvinas pela TV. Cada um na sua lembrança de batalha.





26/05/2018
Onde assistir Real Madrid x Liverpool

Os times espanhol e inglês fazem neste sábado, às 15h45 (hora de Brasília) a grande final da Champions League 2018. O mundo praticamente vai parar para ver o confronto no Estádio Olímpico de Kiev, capital da Ucrânia.

No Brasil, a audiência dos jogos do maior torneio de clubes do mundo cresce a cada ano. Quatro canais de TV transmitirão a partida ao vivo. São eles Globo e Band (abertos) e Esporte Interativo e Space (fechados). Nas grandes cidades cerca de 180 salas de cinema também exibirão a final, e pela Internet pode ser acompanhada pelo site GloboEsporte.Com.


As duas equipes são especialistas na conquista da Champions, sendo o Real Madrid detentor de 13 taças (as orelhudas). O Liverpool já ganhou cinco vezes (mesma quantidade de Barcelona e Bayern) e quer se aproximar do Milan, com 7 conquistas.





25/05/2018
Previsão do tempo

Alberto Dines já fez o primeiro contato psicografado e manda uma chamada para o Observatório da Imprensa e para qualquer veículo que queira publicar ou postar.

Eis o recado do saudoso mestre:

"Tempo embaçado, nuvens em chumbo. Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. previsão de ventanias e trovoadas. Convém ficar em casa para não ser atingido pela mudança radical do clima."





25/05/2018
Ciência acha o dowload da memória

Enquanto os homens exercem seus podres poderes, enquanto as pessoas se envolvem com a Copa do Mundo, o aumento dos combustíveis, as crises políticas, a violência urbana, o casamento do príncipe, as duas esposas de Ronaldinho e a tara de Morgan Freeman, um grupo de biólogos geram a melhor notícia para a raça humana.

Biólogos da Universidade da Califórnia (UCLA) conseguiram transferir pela primeira vez a memória entre dois seres vivos, especificamente entre dois caracóis marinhos, criando assim uma memória artificial ao injetar RNA (ácido ribonucleico) de um no outro. O feito foi publicado na revista Society for Neuroscience.

O RNA é conhecido como o mensageiro celular que fabrica proteínas e transporta instruções do DNA para outras partes da célula. Agora, os pesquisadores entendem que há outras funções importantes, como a regulação de uma variedade de processos celulares implicados no desenvolvimento e nas enfermidades.

Para alcançar tal façanha, os cientistas aplicaram leves descargas elétricas nas caudas de uma espécie de caracol marinho chamado "Aplysia". Os animais receberam cinco descargas, uma a cada 20 minutos, e logo cinco mais 24 horas depois. Os impactos melhoraram o reflexo defensivo, uma resposta para proteger-se de possíveis danos.

Quando os cientistas tocaram os caracóis, constataram que aqueles a que haviam administrado as descargas mostravam uma contração defensiva que durava em média 50 segundos, um tipo simples de aprendizagem conhecida como sensibilização. E aqueles que não passaram pela experiência se contraíram durante apenas um segundo.

Os cientistas extraíram o RNA do sistema nervoso dos caracóis que receberam os choques um dia depois da segunda série de descargas, e também dos caracóis que não receberam tal impacto. Logo, o ácido do primeiro grupo (sensibilizado) foi injetado em sete caracóis que não haviam recebido choque, e o RNA do segundo grupo foi injetado em outros sete.

Surpreendentemente, descobriram que os sete animais que receberam o RNA daqueles que sofreram descargas se comportaram como se tivessem passado pela experiência do choque na caudas, exibindo contração defensiva que durou em média 40 segundos. E como se esperava, o grupo que recebeu o ácido dos caracóis que não tomaram choque não mostraram nenhuma contração.

"Foi exatamente como se transferíssemos a memória", disse à revista David Glanzman, professor de Biologia e Fisiologia Integradas e de Neurobiologia da UCLA e chefe da pesquisa. Explicou que quando se aplica descarga elétrica na cauda do caracol, seus neurônios sensoriais ficam mais excitados. Curiosamente, foi só quando se agregou o RNA destes em outros caracóis que não tomaram choque que houve excitação nos neurônios.

Agora é avançar nos estudos e calcular quando o dowload de memória entre seres vivos poderá ser utilizado entre humanos. Os cientistas acreditam que isso pode ser no futuro essencial para a cura do Alzheimer e traumas cerebrais.





23/05/2018
Uma guitarra chora

A música potiguar - e a cultura como um todo - está de luto. Faleceu ontem aos 55 anos o músico e compositor Carlos Antonio de Sena, Carlança, um dos mais virtuosos violonistas e guitarristas do estado, presença destacada em bandas de bailes, festivais, bares e shows de cantores e cantoras locais.

Nascido em Assu, ainda criança se interessou por violão e construiu com as cordas e os acordes uma relação autodidata e criativa. Foi musicalmente adotado pelo saudoso Miltança, que fez história na cena natalense integrando a banda Alcateia Maldita, criada nos anos 70. Eis a paternidade do apelido.

Carlança emprestou seu talento aos mais variados artistas potiguares, suas notas limpas e afinadas davam o brilho na "cozinha dos palcos" (termo para os músicos atrás dos vocalistas), chegou a acompanhar o consagrado Ivanildo Sax de Ouro. E fez parcerias com alguns colegas em letras e melodias.

O baixista da banda Os Grogs, Moisés de Lima, seu parceiro em algumas composições, comentou ao saber da sua morte: "Carlança tinha uma técnica extraordinária, perdemos um grande artista". Outro baixista, Paulo Sarkis, do Mad Dogs, lembrou que ele foi um discípulo à altura do mestre Miltança.

Carlança era um músico em tempo integral, o talento era o seu sustento. Tocou em bares noturnos e por oito anos deixou Natal para encarar uma orquestra de baile da Bahia, viajando pelas cidades baianas levando sua levada. Era dos poucos que tocavam o gênero chorinho com a guitarra. A sua era uma Ibanez.

O gaitista Graco Medeiros, que tocou com ele ao lado de Moisés de Lima e Severino Ramos no projeto "Sábado no Centro", organizado pelo Sebo Balalaika, lembrou que "Carlança tocava muito, perfil parecido com o de outra fera autodidata, exímio violonista e guitarrista Jorginho Banda Macedo".

Refletindo o sentimento dos amigos do Beco da Lama, o espaço multicultural onde o músico era assíduo, o jornalista e poeta Alexandre Gurgel postou nas redes sociais: "Partiu Carlança / com ele partem e ficam melodiosas lembranças / e o sonho dos amigos de melhores dias / em feitio de sua música..."

Severino Ramos, o criador do Sebo Balalaika, revelou que Carlança deixou um disco pronto em estúdio, que em breve deverá ser lançado pelos amigos. No próximo sábado, a partir das 14h, haverá um tributo a ele na rua Vigário Bartolomeu. Seus parceiros mais chegados sabem que ele estará presente. Sempre.





22/05/2018
Luc Besson acusado de estupro

Durante décadas Woody Allen era praticamente o único executivo do cinema a carregar nas costas e no currículo acusações de assédio sexual. Até que em outubro de 2017, quando o poderoso produtor de Hollywood Harvey Weinstein foi acusado de assediar dezenas de atrizes, uma lista começou a crescer.

Cineastas como Oliver Stone, Lars Von Trier, Brett Ratner e James Toback passaram a constar da lista, todos denunciados por mulheres. Logo depois apareceram as acusações contra astros das telas, como Dustin Hoffman, Kevin Spacey, Ben Affleck, Steven Seagal, Charlie Sheen e Jeremy Piven.

Os casos provocaram uma reação em cadeia no universo feminino, principalmente no ambiente do cinema, onde estrelas do porte de Meryl Streep, Ashley Judd, Natalie Portman e Cate Blanchett tomaram a dianteira da indignação e criaram o movimento Time's Up para denunciar os assédios.

Apesar da repercussão mundial do movimento, com direito a intervenções na festa do Oscar e leitura de um documento assinado por 82 mulheres em Cannes, os casos não param de ocorrer e agora um outro diretor/produtor de peso, o francês Luc Besson, é denunciado também por violência e assédio.

Besson, que dirigiu sucessos como O Profissional (1994), O Quinto Elemento (1997), Lucy (2014) e Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (2017), foi acusado por uma atriz de tê-la drogado e depois violentado. O crime teria ocorrido num hotel de Paris, segundo noticiou ontem a rede de rádio francesa Europe 1.

A mulher, cuja identidade não foi revelada, formalizou a denúncia numa delegacia de Polícia na manhã do sábado e segundo ela a ocorrência teria acontecido horas antes nas dependências do Hotel Bristol, que fica próximo ao Palais de l'Elysée, sede da Presidência da República francesa.

Ela disse no depoimento que conhece Besson há alguns anos. Sobre o ocorrido, contou que logo após ter tomado uma xícara de chá sentiu-se mal e desmaiou. Ao recobrar os sentidos, afirmou que percebeu sinais de que foi tocada e penetrada sexualmente. O diretor deixou o hotel antes dela.

Ao ser notificado da denúncia, Luc Besson se manifestou por intermédio de um advogado, que declarou que o cliente ficou surpreendido, apesar de reconhecer que encontra a atriz episodicamente, mas jamais drogou nem violentou ninguém. Ele é o dono da Cité du Cinéma, uma mini-Hollywood de 62 mil metros quadrados, inaugurada em 2012 numa velha central elétrica no subúrbio de Paris.





22/05/2018
Despenca confiança na Democracia

O cientista político potiguar Homero Costa postou em sua coluna do site Nossa Ciência (www.nossaciencia.com.br) um extenso e detalhado artigo onde mostra uma queda acentuada de crédito na democracia, tanto no Brasil quanto na América Latina. Estudos mostram que isso ocorre desde 2010.

Entre várias pesquisas citadas por Homero, destaque para a do Instituto Latinobarômetro, do Chile, que realiza estudos desde 1995. Na avaliação de 18 países em 2017, o Brasil registrou o maior percentual de descrédito na democracia, 43%, seguido pelo México com 38%.

Homero aponta também o crescimento de aceitação por um regime autoritário: "Numa pesquisa divulgada em outubro de 2017 pelo Datafolha, 21% dos eleitores concordam com a ideia de que em certas circunstâncias uma ditadura é melhor do que um regime democrático. Em dezembro de 2014, eram 15% dos eleitores. Houve, portanto um aumento de 6%", escreveu.

Ele constata que o que as diversas pesquisas demonstram é que existe uma baixa adesão à democracia não apenas no Brasil mas na grande maioria dos países da América Latina. E cita a pesquisa do Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação, onde apenas 19,4% se dizem a favor de um regime democrático.

Segundo o cientista, que tem formação marxista e desde a juventude apoia candidatos do espectro da esquerda ou de correntes popular-democráticas, q
uando indagados sobre se um golpe de Estado dados pelos militares seria justificado, 47,8% dos entrevistados defenderam a medida em caso de "muita corrupção" e 53,2% em contexto no qual houvesse "muito crime". 





21/05/2018
Os 23 convocados da Argentina

Em coletiva de imprensa na sede da AFA, a federação argentina de futebol, o técnico Jorge Sampaoli anunciou nesta segunda-feira a lista dos 23 jogadores que representarão a seleção alviceleste na Copa do Mundo da Rússia.

Os hermanos estreiam no dia 14 de junho contra a Islândia, a maior revelação da Europa nas últimas décadas.

As maiores surpresas da lista estão fora dela: o artilheiro da liga italiana e ídolo da Inter de Milão, Mauro Icardi, não foi confirmado. Mesma situação para o meia Centurión, que faz grande temporada no Racing, o jovem craque Lautaro Rodriguez, também do time azul celeste, e o talentoso 
Pastore, do PSG.

A lista de Sampaoli é a seguinte:

GOLEIROS: Sergio Romero, Wilfredo Caballero e Franco Armani.

DEFENSORES: Gabriel Mercado, Federico Fazio, Nicolás Otamendi, Nicolás Tagliafico, Marcos Rojo, Ansaldi e Marcos Acuña.

MEIAS: Javier Mascherano, Manuel Lanzini, Lucas Biglia, Giovani Lo Celso, Ángel Di María, Eduardo Salvio, Éver Banega, Cristian Pavón e Meza 

ATACANTES: Lionel Messi, Paulo Dybala, Sergio Agüero e Gonzalo Higuaín.





20/05/2018
Nas copas da História - II

A foto que ilustra o artigo de hoje é uma raridade encontrada num álbum de família. Mostra os jogadores da seleção do Uruguai, durante o café da manhã no fatídico dia 16 de julho de 1950, quando a "celeste" conquistaria a taça diante do Brasil numa virada inimaginável.

A Copa do Mundo de 1950 aconteceu após uma espera de doze anos desde a Copa de 1938, vencida pela Itália, um dos países que provocariam a Segunda Guerra Mundial, motivo para a FIFA cancelar os torneios de 1942 e 1946. Apenas 13 seleções se apresentaram para participar dos jogos no Brasil.

Apesar do futebol uruguaio ter naqueles anos o time do Peñarol numa fase magnífica, não foi fácil montar uma seleção. A maior dificuldade foi convencer o volante Obdulio Varela a compor o grupo e liderá-lo; foi visitado por uma comitiva do governo federal e exigiu um emprego público vitalício.

Os deuses do futebol conspiraram para os uruguaios, quando Argentina, Equador e Peru desistiram e permitiram que Chile, Paraguai, Bolívia e o próprio Uruguai não precisassem disputar as eliminatórias, e quando Escócia Índia e Turquia se retiraram, gerando um grupo com apenas Uruguai e Bolívia.

O caminho dos campeões da primeira Copa do Mundo para a vitória em 50 foi o mais curto já percorrido por uma seleção. Afundaram a Bolívia por 8 x 0 nos canais do Recife, depois empataram com a Espanha por 2 x 2, bateram a Suécia por 3 x 2 e ficaram se preparando para não ser goleado pelo anfitrião.

Na foto do café no Paysandú Hotel, o belo prédio em art décor no Flamengo que recebeu a delegação uruguaia (que rejeitou ficar hospedada em São Januário), minutos antes os jogadores se depararam com dezenas de jornais em cima da mesa, todos com manchetes ufanistas em favor do Brasil.

Obdulio Varela havia acordado mais cedo, saiu pelo Rio comprando os jornais e resolveu usá-los como provocação para estimular a garra dos seus companheiros. Na hora do jogo, quando subiram ao gramado do Maracanã, ele olhou as arquibancadas lotadas e disse: "os que estão lá não vão jogar".

O capitão colocou o braço nos ombros do craque do time, Schiaffino, olhou os demais e fez um pedido quase protocolar para que todos se esforçassem para não tomar muitos gols. Até poderiam ser coadjuvantes, mas sem humilhação. O Brasil havia chegado ali com 7 x 1 na Suécia e 6 x 1 na Espanha.

O resto todo mundo já sabe, virou História. A foto dos uruguaios faz parte do álbum do casal Eduardo Rivera e Rosa Dragonetti (ambos falecidos), achado recentemente por um filho. Na hora de escolher um roteiro para uma segunda lua-de-mel, escolheram a Copa do Mundo e a Cidade Maravilhosa.

Um ano depois do Maracanazzo, Obdulio e outros jogadores foram jogar em Curitiba numa partida beneficente em prol de crianças com poliomielite. Ali, ele revelou que na noite após o jogo, saiu pelas ruas do Rio e viu a comoção do povo nos bares, nas calçadas. "Se soubesse que seria assim, não teria vencido aquela final", disse "El Negro Jefe".





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92