BLOG DO ALEX MEDEIROS

29/03/2016
Terça gorda com TV

A bola rola hoje pelo mundo envolvendo seleções dos cinco continentes, muitas em confrontos amistosos e outras muitas em disputas eliminatórias para a Copa da Rússia 2018.

Confira abaixo os principais jogos:

EUROPA

13h Estônia x Sérvia
14h Macedônia x Bulgária
15h Noruega x Finlândia
15h30 Áustria x Turquia
15h30 Suécia x República Checa
15h30 Suiça x Bósnia
15h45 Alemanha x Itália
15h45 Portugal x Bélgica
16h Inglaterra x Holanda
16h Escócia x Dinamarca 

AMÉRICAS

17h30 Colombia x Equador
20h Uruguai x Peru
20h30 Argentina x Bolivia
20h30 Venezuela x Chile
21h45 Paraguai x Brazil
20h Trinidad e Tobago x Saint Vincent
20h25 EUA x Guatemala
22h Honduras x El Salvador
22h30 Panamá x Haiti
23h Costa Rica x Jamaica
23h30 México x Canadá

ÁFRICA

13h Angola x Congo
14h Egito x Nigéria
14h Sudão x Costa do Marfim
14h África do Sul x Camarões





28/03/2016
McCartney em Piratas do Caribe

O cantor e compositor Paul McCartney, um dos lendários integrantes dos Beatles, deverá atuar no próximo filme da saga "Piratas do Caribe", que terá como título "Os mortos não contam histórias" e será a quinta aventura da obra protagonizada pelo ator Johnny Depp.

Por enquanto, são desconhecidos os detalhes da sua participação no longa-metragem e do papel que será designado ao artista pelo diretor e produtores da saga.

Curiosamente, Paul é o segundo ícone do rock ‘n' roll a ser convidado para estrelar na aventura do capitão Jack Sparrow, o consagrado personagem de Depp, que escolheu pessoalmente o guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards, para ser seu pai nas edições de 2007 e 2011.

A entrada de McCartney coincide com o retorno do ator Orlando Bloom e seu personagem original Will Turner. O filme tem estreia prevista para 2017 e contará com os atores Geoffrey Rush e Javier Barden e a atriz Kaya Scodelario.





28/03/2016
Henrique deixa o Turismo

O potiguar Henrique Alves (PMDB) já não é mais ministro do Turismo. No início da noite desta segunda-feira, na véspera do seu partido decidir se fica ou sai do governo Dilma, ele entregou a presidente uma carta de exoneração.

Amanhã, terça, 29, o PMDB vai se reunir e decidir, por aclamação, o desembarque do governo, onde a legenda tem o vice-presidente Michel Temer, sete ministros e mais algumas centenas de militantes que se misturam às mobílias federais.

Veja abaixo o texto da missiva do ex-ministro do Turismo, o primeiro a cair fora do barco petista:

"Excelentíssima senhora presidenta Dilma,

Venho por meio desta carta entregar o honroso cargo de Ministro do seu Governo e agradecer por toda a confiança e respeitosa relação mantida durante esses onze meses em que trabalhamos juntos.

Pensei muito antes de fazê-lo, considerando as motivações e desafios que me impulsionaram a assumir o Ministério (e que acredito ter honrado): fazer do Turismo uma importante agenda econômica, política e social do Governo e do País.

Mas, independente de nossas intenções, o momento nacional coloca agora o PMDB, o meu partido há 46 anos, diante do desafio maior de escolher o seu caminho, sob a presidência do meu companheiro de tantas lutas, Michel Temer.

Todos - o Governo que assumi e o PMDB que sou - sabem que sempre prezei pelo diálogo permanente. Diálogo este que - lamento admitir - se exauriu.

Assim, presidenta Dilma, é a decisão que tomo. Não nego que difícil, mas consciente, coerente, respeitando o meu Rio Grande do Norte, e sempre - como todos nós - na luta por um Brasil melhor.

Estou certo de que, sendo a senhora alguém que preza acima de tudo a coerência ideológica e a lealdade ao seu próprio partido, entenderá a minha decisão.

Respeitosamente,

Henrique Eduardo Alves"





28/03/2016
Ainda o assédio e os estupros

Por iniciativa da deputada Cristiane Dantas (PCdoB), a Assembleia Legislativa começa a semana com mais um debate sobre a violência contra a mulher, a partir das 14h30, no auditório da Casa.

Segundo a proposição da parlamentar, a audiência pública centralizar o debate nos crimes de assédio sexual nas ruas e nos transportes públicos, além dos casos de estupros que continuam ocorrendo em todo o estado.

Aliás, poucos dias atrás uma jovem foi estuprada no terreno contíguo ao Centro Administrativo, ali onde se armam os circos que visitam Natal. Outras mulheres já haviam sido vítimas de ataques no mesmo local, sem no entanto ter se concluído o estupro.

Dito isto, pergunto à Prefeitura da cidade o que está faltando para exigir dos proprietários do terreno que providenciem o cerco da área? Afinal, assim deve ser todo espaço privado sem imóvel construído. Do jeito que está, baldio, é um atrativo para os bandidos que covardemente atacam mulheres.





Veja o video:



22/03/2016





22/03/2016
Serra está na área

Foi só jogo de cena a declaração do vice Michel Temer (PMDB) sobre supostas conversas com o senador José Serra (PSDB) em que ambos estariam discutindo táticas para um futuro governo pós-impeachment de Dilma Rousseff.

Não é de agora que os dois vêm trocando figurinhas eleitorais. E agora estão quase enchendo o álbum do amanhã depois que Serra se distanciou de Geraldo Alckmin no processo interno dos tucanos paulistas para escolher um candidato a prefeito.

O PMDB poderá, sim, contar com o senador para formar uma chapa na eleição presidencial de 2018. A questão é apenas de amarrar os bigodes com Temer, que teria que prometer não ser candidato a reeleição se assumir o Planalto numa provável queda de Dilma.





22/03/2016
FHC sobre os telefonemas de Lula

"Não tem nada de republicano,
nada de democrático,
são coisas de chefe de bando."

Por ser elegante e diplomático,
acho que FHC ainda pegou leve.





22/03/2016
Liberdade vs islamismo

Ao abrir suas fronteiras e o coração para a entrada de milhões de muçulmanos, a Europa acabou patrocinando seu próprio inferno.
O terror islâmico não vai parar de avançar sobre o futuro da civilização ocidental.





19/03/2016
Coxinha e Mortadela no Brasil indivisível

Na quinta-feira, estudantes de uma escola de classe média alta do Recife vestiram preto numa manifestação de luto pela situação política do Brasil, atendendo ao pedido dos defensores do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Quando a foto dos jovens alunos se espalhou pelas redes sociais do País, militantes virtuais do Partido dos Trabalhadores e do Partido Comunista do Brasil trataram de desqualificar o protesto usando como argumento a classe social da turma.

Entre as tantas piadas contras os estudantes, uma dizia que no comércio de roupas de grife da capital pernambucana havia acabado todo o estoque de camisetas da marca Calvin Klein, que custam entre R$ 40,00 e R$ 80,00 as chamadas básicas de algodão.

Na sexta-feira bem cedo, circularam pela internet e no passeio público alguns panfletos que o PT confeccionou para convocar a militância para o ato público em favor de Dilma e Lula e contra o juiz Sergio Moro, além - é claro - de protestar contra o impeachment.

Numa das mensagens partidárias, de distribuição nacional, tinha uma orientação específica para que todos os diretórios buscassem nos bairros periféricos e nas pequenas cidades pessoas de pele preta ou parda, numa clara (perdão do trocadilho) artimanha racista de estabelecer uma representação popular na passeata.

Simpatizantes dos partidos de oposição caíram de pau na panfletagem, esquecendo até o fato de que eles também incorrem na mesma desfaçatez quando batizaram as pessoas que recebem bolsas-esmolas do governo pelo termo mortadela (a carne que compõe o sanduíche distribuído pela CUT).

Faz tempo que os arautos das ideologias autoritárias e dos interesses comerciais tentam dividir o Brasil entre pobres e ricos, pretos e brancos, petistas e tucanos. Para isso, desde a campanha eleitoral de 2014, os simpatizantes de Lula e de FHC passaram a se chamar "mortadelas e coxinhas".

Vai longe o tempo em que esquerda e direita no Brasil se diferenciavam no debate de ideias e de entendimento de como se constrói uma civilização democrática. Nascidos de uma mesma placenta ideológica, no centro-esquerda que sucedeu o regime militar, PT e PSDB viraram apenas um Fla x Flu sem glamour.

Alienados no processo histórico do País e ignorando a condição étnica indivisível da nossa gente, travam nas ruas e nas tribunas uma pendenga histérica que só não é estéril na gestação de um clima beligerante que transforma todos em brucutus políticos.

No começo da noite dessa sexta-feira, quando conversava sobre a manifestação do PT com o governador Robinson Faria, o desembargador Claudio Santos e o empresário Ruyzito Gaspar num café de Petrópolis, capturei na timeline do Twitter a bela foto que ilustra este comentário.

São dois garotinhos do interior do Brasil, irmanados num coleguismo imune a qualquer diferença social que possa existir entre ambos. Uma amizade de natureza real, livre dos arranhões que a vida dos adultos impõe quando das escolhas pessoais de cada um.

Não sei como se chamam. Vou tratá-los como "Coxinha" e "Mortadela", numa referência quase semiótica de ironia com a idiotice que os militantes partidários espalham pela Nação contaminando a todos e atingindo até as instituições imprescindíveis para a construção do nosso futuro civilizatório.

Minha família não é tão numerosa, mas tem uma quantidade suficiente de entes queridos para contemplar posicionamentos políticos, religiosos e filosóficos distintos ou até gostos artísticos bastante divergentes. Um dos meus filhos é antagônico a mim no aspecto ideológico, mas quando discutimos deixo que a coisa transcorra como uma diferença clubista.

O futebol é sempre mais palatável do que o tempero medieval que os partidos impuseram às coxinhas e mortadelas que alimentam a maioria da massa usada para interesses violentos ao presente e perigosos ao futuro.





1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95