História

26/08/2016 15:41:31
Cultura vs religião

Por Alex Medeiros

A engenharia social, política e cultural do mundo teria muito a ganhar se para cada tijolo religioso houvesse o dobro em cimento iluminista. A vida precisa mais de conhecimento do que de crendice, necessita mais de arte do que de fé no inexistente.

Infelizmente, nos países atrasados econômica e culturalmente as religiões e seitas avançam sobre a cultura e a tolerância, com seus templos ridículos se erguendo como monstros das profundezas a engolir cinemas, teatros, cafés, galerias. É a boca do fanatismo comendo a inteligência humana.

Algumas salas de cinema da minha juventude se tornaram igrejas, outras foram substituídas pelo comércio frio dos bancos, bares onde fiz poemas de amor e de protesto viraram ruínas debaixo de lojas e bazares da fé que disputam, com técnicas distintas, o salário mínimo dos miseráveis.

Mas, felizmente, nos países da Civilização, exatamente naqueles onde o ódio religioso constrói suas casamatas do terror covarde e invisível, começa a ganhar espaço um processo oposto. Áreas de cultura, lazer e ciência estão substituindo templos e igrejas, que se esvaziam em consequência do vazio de suas pregações oportunistas.

Na Espanha, na bela região das Astúrias, um grupo de meninos patinadores (que se intitula Brigada da Igreja) se juntou a um artista multimídia chamado Okuda San Miguel e converteram a velha Igreja de Santa Bárbara, na cidade de Llanera, numa pista de skate. O projeto, inaugurado no fim de 2015, se chama Templo do Caos.

Já a Igreja de São Nicolau, construída no século 12 na Inglaterra, foi comprada em 2002 por uma empresa chamada Bottomley and Sally Onions, que após seis anos de restauração do prédio se tornou uma luxuosa loja com restaurantes e ainda mantendo a beleza arquitetônica do passado.

Quando visitar Milão, não deixe de conhecer a igreja que já foi dedicada ao culto de São José, o pai de Jesus. Abandonada nos anos 1970, foi arrumada em 2001 para hospedar uma animada discoteca e um saboroso café, chamados juntos de Il Gattopardo.

Na Holanda, uma igreja do século 13 na cidade de Maastricht, com o complicado nome de Selexyz Dominicanen (foi construída por padres dominicanos), foi restaurada para se converter em 2006 numa grande e esplendorosa livraria. Antes disso, era uma fábrica de bicicletas. O projeto arquitetônico ganhou prêmio em 2007.

Na cidade belga Amberes, o grupo Piet Boom Studio transformou uma antiga capela militar num renomado restaurante, cujo cozinheiro Sergio Herman ganhou uma estrela na avaliação do prestigiado catálogo Michelin. O local agora se chama The Jane Restaurant.

Outra capela, de estilo gótico, existente em Kingston, Inglaterra, virou uma espécie de estalagem para viajantes com bom gosto gastronômico. Por 200 libras por dia, a pessoa curte o ambiente histórico e ainda se aventura na pesca que vai para o próprio prato com a arte da cozinha local.

Na populosa Pittsburgh, na Pensilvânia (EUA), a igreja de São João Batista, construída em 1909, que desde 1995 deixou de ser local de orações, transformou-se no ano seguinte numa badalada cervejaria que tem o sugestivo nome de The Church Brew Works.

Quem souber em Natal do fechamento de algum templo, igreja, capela ou terreiro, favor me avisar, pois tenho um enorme interesse em oxigenar o lugar com as luzes do lazer, da cultura, da convivência, dos bons vícios e da sabedoria. Tenho fé no Iluminismo eterno.

   


Comentários