Música

02/05/2016 00:51:21
Os 50 anos de Revolver

Clássico antecipou o Psicodelismo no Rock, elevando os Beatles a outro patamar criativo

 
"Revolver" foi concebido com a difícil tarefa de dar continuidade à evolução apresentada no álbum anterior, Rubber Soul. As referências a temas políticos e sociais estão presentes nas letras, enquanto os arranjos trazem a influência das mais diversas vertentes culturais que os Beatles estavam conhecendo e experimentando naquele momento. Inicialmente programado para se chamar "Abracadabra", o novo disco dos Beatles tinha uma capa criada pelo fotógrafo Robert Freeman, que desenvolveu uma colagem em forma de espiral, com fotos repetidas da metade do rosto de cada beatle.
 
Não se sabe se o título "Abracadabra" era provisório e não agradou aos Beatles ou se a arte criada por Robert Freeman não era o que eles esperavam. O fato é que o grupo recorreu ao velho amigo Klaus Voormann para criar a arte do novo disco, que a essa altura já tinha também um novo título: "Revolver", que não fazia nenhuma referência à arma e sim ao movimento de um disco.
 
Klaus Voormann nasceu na Alemanha e namorava com a fotógrafa Astrid Kirchherr, quando conheceu os Beatles, na temporada em que a banda tocou em Hamburgo. Klaus e Astrid faziam parte dos "exis", um grupo de jovens artistas existencialistas do início dos anos 60. O casal era referência aos Beatles na forma de se vestir e se comportar. Pouco depois de conhecerem a banda, Astrid terminou o namoro para assumir uma relação com o então baixista dos Beatles, Stuart Sutcliffe.
 
O convite partiu de John Lennon, que entrou em contato com o velho amigo e pediu que ele desenvolvesse a capa de "Revolver". Voormann produziu cinco desenhos diferentes e escolheu um para oferecer como ideia inicial. A banda e o empresário Brian Epstein aprovaram a concepção e o artista deu continuidade à arte, baseada em uma colagem que misturava desenhos com fotos dos Beatles feitas pelo fotógrafo Robert Whitaker. Duas dessas fotografias - uma de John Lennon e outra de George Harrison - já haviam sido incluídas na contracapa do disco "Rubber Soul".
 
O resultado, que apresentava o perfeito contraste da simplicidade com o psicodelismo, agradou os Beatles em cheio. Paul McCartney comentou na ocasião: "Adoramos a maneira em que ele nos colocou, com fotos saindo das cabeças e dos ouvidos dos desenhos. Ele já nos conhecia o suficiente para capturar nossa imagem de uma forma muito bonita em sua arte. Nos sentimos muito elogiados".
 

   


Comentários