Música

17/05/2016 01:37:31
Eldorado, a gravadora

Selo paulista manteve cast de grandes intérpretes da MPB e também bandas de Rock como o Viper

 
O Estúdio Eldorado foi fundado em janeiro de 1972 para atender a uma necessidade de mercado e utilizar o que era, então, um dos mais modernos auditórios da cidade, o da Rádio Eldorado. Num tempo em que apenas dois estúdios brasileiros dispunham de equipamentos de gravação com oito canais, o Estúdio Eldorado iniciou suas atividades com equipamentos de 16 canais e, de pronto, promoveu uma revolução no mercado fonográfico brasileiro. Grandes gravadoras do País chegaram a alugá-lo para a produção de sucessos fonográficos estrelados por artistas como Caetano Veloso, Rita Lee, Tim Maia, Roberto Carlos, Hermeto Paschoal, entre tantos outros.

A partir de 1977, quando lançou seu primeiro disco, Revendo com a flauta os bons tempos do chorinho, o Selo Eldorado colocou no mercado discos dos mais variados gêneros. Encampou projetos importantes para a MPB, como as séries Documento Inédito que lançou um álbum com músicas de Adoniran Barbosa, Cartola com depoimentos e oito obras-primas e Inédito e Desconhecido, com músicas de Noel Rosa, Jacob do Bandolim, etc.

Editou também discos de Clementina de Jesus, Marilia Pera, Guilherme de Brito, Grande Otelo, Monarco, Henricão, Paulo Vanzolin, etc. Alguns registros fonográficos do Selo Eldorado são considerados históricos como "As Flores em Vida", de Nelson Cavaquinho, com as participações de Chico Buarque, Toquinho, João Bosco, entre outros, Geraldo Pereira interpretado por João Nogueira, Jackson do Pandeiro, Roberto Silva, Macalé, Elton Medeiros, etc.

Realizou projetos de música erudita com artistas brasileiros e marcou época ao convidar Raul Seixas para gravar Carimbador Maluco. Investiu no heavy metal brasileiro, estabelecendo o grupo Sepultura no mercado nacional, inovou lançando o Rap nacional "Hip Hop Cultura de Rua" e "Thaide & DJ HUM", e ao anunciar a chegada de Daniela Mercury em todo o País.

O lançamento de Daniela Mercury como cantora solo no mercado brasileiro foi um marco do Selo Eldorado. A baiana, que até então limitava sua carreira atuando como backing-vocal de Gilberto Gil e vocalista na Companhia Clic, teve, em 1991, pelo Selo Eldorado, a grande chance de sua vida: lançou Swing da Cor, seu primeiro álbum solo, e conquistou o Brasil interpretando composições de Gilberto Gil (Geléia Geral); Carlinhos Brown (Todo Canto Alegre), além de Dito, Durval, Lelys e Gerônymo. As músicas Swing da Cor (seu eterno sucesso), Vida É e Maravilha Ê, estouraram e contribuíram para estabelecer a cantora no cenário musical brasileiro.

 

   


Comentários