Cotidiano

22/11/2015 00:48:19
Um brinde ao Bloody Mary

O mais clássico dos coquetéis da década de 1970 circulou entre as maiores estrelas do jet set internacional

 
Dos livros de Brigitte Montfort ao 007, ele percorreu todas as festas possíveis e imagináveis. O Bloody Mary (em Inglês "Maria Sanguinária", como referência à Rainha Maria I de Inglaterra) era um coquetel feito com vodca, suco de tomate, suco de limão, sal, molho inglês,tabasco e pimenta. Há mais de uma versão acerca de quem e onde teria criado o coquetel, também acerca da origem do nome. 
 
O francês Fernand Petiot, barman do Harry's Bar de Paris, teria criado o coquetel em sua primeira versão na década de 1920, mas teria lançado no bar do Hotel Saint Regis em Nova York, tendo denominado o mesmo de Red Snapper, nome que foi depois abandonado. A pedido do príncipe russo Serge Obolensky foi incluído o tabasco na receita. Ambos os locais reivindicam o posto de local da criação da bebida.
 
No final dos anos 1930, o ator e produtor George Jessel teria sido o criador, também em Nova York conforme o New York Herald Tribune, sendo que Jessel aparecia em propagandas da Vodca Smirnoff. Uma terceira versão, essa com menos defensores, atribui a Bertin Azimont, do Hotel Ritz Paris, a criação especial para o escritor Ernest Hemingway que queria uma bebida que não deixasse odor, para que a esposa dele não percebesse.

   


Comentários