Cotidiano

29/11/2015 02:08:32
Beretta M1951

Empunhada por Sean Connery em 007 Contra o Satânico Dr. No, pistola deu lugar a uma PPK, mas não perdeu o charme

 
James Bond manteve a pose e a silhueta na abertura de todos os filmes do agente 007, e com ele, a inseparável pistola que simboliza o glamour do agente secreto mais cultuado do planeta. Da classe das semiautomáticas, a Beretta M1951 é uma 9×19mm desenvolvida entre o final dos Anos 1940 e o início dos 1950s por Pietro Beretta, na Itália. A arma teria sido produzida exclusivamente para uso das Forças Armadas e posteriormente continuada nas séreis Modello 1951 (M1951), que substituiu a Modello 1934 adaptada para o cartucho 9×17mm Short (.380 ACP).
 
Os primeiros modelos incluíam um corpo niquelado incapaz de suportar o coice equivalente ao de uma Parabellum 9x19 durante o disparo. A deficiência seria sanada nos modelos da segunda série, que vinham em aço muito encorpado. Chegava aos quase 250 grama de peso adicional em relação à anterior, mas o equilíbrio evoluíra. As mudanças incluíam miras maiores, empunhadura simplificada e mais estreita, e uma liberação de magazine externa acionada pelo polegar, ao invés das antigas travas de botão integradas às outras versões da 951.
 
A Beretta se encontrava em competição com a Tokarev para se tornar o primeiro fornecedor de armas oficial da nova República Egípcia. Apesar da intensa pressão e incentivos econômicos do Bloco Soviético, os egípcios admiravam a precisão da 9x19 mm, além do poder de fogo e resistência confiável nas condições climáticas do deserto. Consequentemente, a "Tokagypt" seria produzida, comparativamente, em quantidades muito menores.

   


Comentários