Cotidiano

15/05/2017 11:14:27
Touro de Wall Street vs Menina Sem Medo

Escultor do Touro não quer a Menina em sua frente

Arturo Di Modica, o escultor que fez a estátua do Touro que está perto de Wall Street, em Nova Iorque, considera que a estátua da Menina Sem Medo que foi colocada à frente da sua obra de arte é uma violação dos seus direitos, uma vez que altera o contexto e o significado do Touro.

Ao lado do seu advogado, Di Modica convocou a imprensa esta quarta-feira para lembrar que o seu trabalho, ali colocado em 1989, deveria simbolizar "a liberdade, a paz no mundo, a força, o poder e o amor". Mas, quando no passado dia 8 de março, puseram a Menina Sem Medo a desafiar o Touro, de repente, a estátua passou a ter um significado negativo, tem a ver com medo e com a uma força que deve ser combatida.

O artista já pediu ao presidente da câmara de Nova Iorque para mandar tirar a estátua da Menina daquele local.
Qual é o significado do Touro?

Na verdade o Charging Bull, como é o nome original da estátua, foi uma ideia de Arturo Di Modica, após a crise da bolsa de 1987. O artista queria celebrar a determinação e a resiliência do povo americano, que com muito trabalho conseguiu sempre vencer os obstáculos - esses seriam, na sua opinião, os antídotos para a crise financeira.

O nome Charging Bull é um trocadilho - chargingsignifica cobrar e bull é touro, mas os investidores usam a expressão bull market quando o mercado está em alta e, portanto, o touro é também um símbolo do otimismo.

Di Modica trabalhou durante dois anos no enorme Touro de bronze. Num ato de guerilla art, na manhã de 15 de dezembro de 1989, com a ajuda de amigos, colocou a estátua na Broad Street, em frente da Bolsa de Nova Iorque.

A estátua foi retirada ao fim do dia, por ordem das autoridades, mas, a pedido dos moradores de Nova Iorque, acabou por voltar, já com as devidas autorizações, para o seu lugar atual, na Bowling Green, tendo-se tornado uma atração turística e um ícone da cidade.

Quem é a Menina Sem Medo?

Da autoria de Kristen Visbal, a Menina Sem Medo foi encomendada pela gestora de investimentos State Street Global Advisors (SSGA) e foi colocada em Wall Street a 7 de março, um dia antes da comemoração do Dia Internacional da Mulher, para chamar a atenção para as desigualdades nas remunerações entre homens e mulheres e para o facto de existirem poucas mulheres nos conselhos de administração das maiores corporações dos Estados Unidos.

De mãos na cintura, a Menina olha o grande touro de Wall Street de forma desafiadora. A estátua deveria ficar ali só naquele mês mas foi tão bem recebida que Bill de Blasio, o "mayor" da cidade, já veio dizer que ela vai ficar por mais um ano.

Logo nessa altura, Arturo Di Modica criticou a instalação: "Aquilo não é um símbolo, é um truque publicitário", disse ao site de notícias financeiras MarketWatch, a 20 de março. E reafirmou essa ideia ontem. "O Charging Bull já não tem uma mensagem positiva, otimista. Pelo contrário, foi transformado numa força negativa e numa ameaça", disse Norman Siegel, o advogado do artista. "Foi feita uma escolha deliberada de exploração e apropriação do Charging Bull através da colocação da Menina Sem Medo."

 

   


Comentários