Cotidiano

20/05/2017 09:33:21
Trump diz que diretor do FBI pirou

Presidente americano justifica demissão com loucura do auxiliar

Durante o seu encontro com dirigentes russos na semana passada, o presidente norte-americano Donald Trump disse que tinha despedido o diretor do FBI por este ser "louco", noticiou hoje o jornal The New York Times.

Por consequência da demissão de James Comey, reconheceu Donald Trump, diminuiu a pressão que ele estava sofrendo por causa das investigações do FBI sobre as alegadas relações da sua campanha eleitoral com agentes russos.

O diário nova-iorquino baseou a sua notícia num documento que resume a reunião de Trump com o ministro dos Negócios Estrangeiros russo e o embaixador russo nos EUA, em 10 de maio, na Sala Oval, da Casa Branca.

O jornal não viu o documento, mas este foi lido por uma pessoa e confirmado por outra. "Acabo de despedir o diretor do FBI. Estava louco. Faltava-lhe verdadeiramente um parafuso", disse Trump nessa reunião, segundo as notas agora divulgadas. "Estava sofrendo uma grande pressão por causa da Rússia. Já me saiu de cima", detalhou Trump aos dirigentes russos, acrescentou o jornal, citando o documento.

Comey foi demitido por Trump, o que provocou uma avalanche de críticas, porque o FBI e o Departamento de Justiça estavam investigando a existência de vínculos entre os dirigentes da campanha eleitoral de Trump e o governo russo e o seu possível entendimento para prejudicar a rival na corrida presidencial, senadora Hillary Clinton.

A conversa de Trump e o ministro russo Serguei Lavrov, um dia depois da demissão de Comey, reforça a ideia de que o presidente norte-americano decidiu substituir o diretor do FBI pela investigação que dirigia sobre o caso, ainda segundo o New York Times.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, apesar de não ter desmentido o relato da reunião, disse que a atuação de Comey tinha colocado uma pressão desnecessária sobre a capacidade de Trump contar com a Federação Russa em dossiês como Síria, Ucrânia e o grupo extremista Estado Islâmico. Spicer disse também que Comey estava "politizando" a investigação sobre o papel da Rússia nas eleições presidenciais norte-americanas.

A líder dos democratas na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, já reagiu, considerando que Trump "dá todos os dias mais razões para acreditar que ele não respeita o cargo que tem", classificando as declarações sobre Comey como "ridículas". Pelosi disse também que, "mais uma vez, (Trump) está tratando os russos como seus confidentes à custa do sistema de justiça" dos EUA.

   


Comentários