BLOG DO ALEX MEDEIROS

09/01/2018
Greve como plataforma eleitoral

Não se enganem os incautos. Por trás das paralisações em curso no RN, iniciadas com as polícias civil e militar, não está apenas o argumento do atraso de salário e falta de condições materiais de trabalho.

Há também um componente eleitoral em jogo. É a tática disfarçada dos sindicalistas envolvidos nas greves com a clara intenção de marcar posições para quando o processo da eleição de outubro começar.

Sindicatos são braços de partidos, que já estão com suas candidaturas em ritmo de ensaios como os blocos de carnaval. E no meio da paralisação policial, já se levantam figuras sonhando com uma cadeira na Assembleia Legislativa.