BLOG DO ALEX MEDEIROS

09/11/2018
A insensatez num estado falido

Todo mundo sabe que o Tesouro Nacional publicou dias atrás um relatório colocando o Rio Grande do Norte como o estado mais ameaçado de insolvência, com mais de 80% da sua receita utilizada para pagamento da folha.

Muita gente viu também o controlador do estado Alexandre Santos Azevedo afirmar que o próximo governo vai precisar demitir 13 mil servidores se quiser equilibrar as finanças. No momento, o estado tem ainda em aberto cinco (5) folhas de pagamento(parte de outubro, novembro, dezembro,parte do 13º de 2017 e o 13º de 2018).

Na segunda-feira passada, em entrevista ao programa Bom Dia Cidade, na 94 FM, o vice-governador Fábio Dantas afirmou para mim e par Jener Tinoco que a governadora eleita Fátima Bezerra vai herdar um déficit de R$ 2 bilhões.

Durante toda a sua gestão que termina em dezembro, o governador Robinson Faria repetiu à exaustão as condições do estado que ele recebeu em janeiro de 2015, e sempre fez questão de destacar a grave crise que assola o RN.

Parce que nada disso sensibilizou os gênios do marketing governamental, auxiliares diretos do governador que insistem na realização de uma insensata licitação publicitária que prevê torrar R$ 30 milhões ao longo de doze meses, dez deles já dentro do futuro governo.

Um dado grave é que circula nos grupos de publicitários do WhatsApp o comentário de que a decisão de realizar a tal licitação ocorreu ainda no mês de agosto, num claro sinal de cartas marcadas.

De onde virá a providência republicana que impeça tamanho golpe no erário? O que dizem o Ministério Público, o Tribunal de Contas e todos aqueles que tenham a consciência de fiscalização e de zelo pela coisa pública?