BLOG DO ALEX MEDEIROS

10/01/2019
Alô, alô, marciano

Um dos filmes que mais projetou a atriz Jodie Foster (além de Táxi Driver, Acusados e O Silêncio dos Inocentes) foi Contato, produção de 1997 com direção de Robert Zemeckis em roteiro baseado no livro de mesmo nome escrito pelo astrofísico americano Carl Sagan, autor da série de TV Cosmos.

Jodie interpreta uma cientista, Dra. Eleanor, que atua no projeto SETI que vasculha o universo em busca de vida alienígena. Após detectar fortes sinais de rádio, provavelmente enviados por uma civilização inteligente, ela segue instruções para criar uma máquina que permitirá contato com extraterrestres.

Nesta semana, a ficção do filme Contato ganhou versão de realidade quando astrônomos detectaram fortes ondas de rádio misteriosas e ultracurtas nas profundezas do espaço sideral, levando alguns cientistas a sugerirem que essas ondas podem ser fortes evidências de vida alienígena avançada.

É a segunda vez na história da astrofísica que as rajadas rápidas de rádio (conhecidas no ambiente científico como RRR, ou Fast Radio Bursts) são detectadas. Elas são pulsos de ondas de rádio de milissegundos e ainda desconhecidas. Estudiosos acham que estão bilhões de anos-luz distantes.

O professor Avi Loeb, do centro de astrofísica da universidade de Harvard, defende a tese de que as ondas detectadas agora são oriundas de tecnologia extraterrestre incrivelmente avançada. Outra tese é que são geradas por poderosos fenômenos, como os buracos negros ou estrelas de nêutrons.

A nova descoberta foi feita por uma equipe canadense de astrônomos e foi publicada na revista Nature. O grupo detectou treze flashes usando um novo tipo de rádio-telescópio, batizado de Experimento Canadense de Mapeamento de Intensidade de Hidrogênio (Chime, na sigla em inglês).

Na primeira vez que as rajadas foram detectadas, em 2007, foi por puro acidente, quando uma explosão de ondas foi observada em dados de radioastronomia. Os astrônomos que operam o sistema Chime estão sediados no Vale de Okanagan, situado na Columbia Britânica, no ocidente do Canadá.

A cientista Ingrid Stairs disse que até agora havia apenas uma RRR repetida conhecida, e sugeriu que diante da nova descoberta podem haver outras. Em 2017, os professores Avi Loeb e Manasvi Lingam aventaram a possibilidade de as ondas serem vazamentos de transmissores ETs do tamanho da Terra.

"As rajadas rápidas de rádio são muito brilhantes, pela curta duração e origem a grandes distâncias, e nós não identificamos uma fonte natural com confiança, valendo então a pena considerar e verificar uma origem artificial e inteligente", declarou Loeb num artigo publicado no tradicional Astrophysical Journal Letters, em circulação desde 1895.