BLOG DO ALEX MEDEIROS

15/03/2019
O mundo de Paulo Ito

Eu estava apenas procurando notícias sobre eventos e manifestações poéticas em algumas partes do mundo, já que o 14 de março também é dia da poesia em âmbito internacional. É uma antiga curiosidade tentando confirmar se Natal é mesmo uma das poucas cidades a viver a data desde o final dos anos 1970.

Então me danei a navegar por sites europeus, americanos e argentinos, procurando alguma coisa sobre a data nas sessões de cultura da imprensa mundial. E dou de cara com a poesia das tintas, do traço cômico e irônico do grafiteiro brasileiro Paulo Ito, destacado em sites da Holanda, Itália e Espanha.

E quem é Paulo Ito? É um paulista de 41 anos, já consagrado nas paredes e muros do Brasil, mas que ganhou popularidade mundial quando deu o chute mais importante da Copa do Mundo de 2014, um chute de bico na cara da FIFA, da CBF e de todos que vendiam a farsa do legado da Copa no País.

Naquela época, enquanto o governo Dilma Rousseff e todos os governos regionais vendiam a ilusão do maior evento de futebol espalhado nas arenas milionárias que seriam depois um campo de corrupção, Paulo Ito jogava nas tintas a imagem de uma criança faminta com uma bola num prato de sopa.

Aquele grafite ganhou as páginas de sites e jornais de planeta, foi exibido nas telas de canais de TV pelos cinco continentes, e se tornou um símbolo dos protestos contra o que foi um festival de roubalheira, cujo desfecho foi a lambança da seleção brasileira esmagada diante da seleção da Alemanha.

O chute rebelde do grafite de Paulo Ito foi a antítese do chute errado dado por uma geringonça que o neuropetista Miguel Nicolelis anexou no corpo de um homem sem movimentos na perna, cobaia de uma fantasia vaidosa de quem imaginava impactar o mundo com uma revolução tecnológica e medicinal.

Na quinta-feira, no Dia Nacional (e Mundial) da Poesia, a arte de Paulo Ito estava ilustrando as páginas da mídia internacional, encantada com a arte urbana carregada de uma de uma força cromática que leva os transeuntes a refletir sobre os problemas cotidianos dos povos. Degustem alguns grafites do artista.