BLOG DO ALEX MEDEIROS

30/04/2019
Venezuela em convulsão social

Poucas horas após o líder oposicionista Juan Guaidó postar no Twitter uma mensagem de que teria apoio das Forças Armadas para iniciar uma tomada de poder, pondo fim à ditadura comunista de Nicolás Maduro, uma série de conflitos explodiu em diversas cidades da Venezuela, com muitos confrontos entre manifestantes e policiais que ainda respondem ao governo.

Analistas internacionais acham que a oposição conseguiu furar o cerco da hegemonia militar que dava sustentação a Maduro e que agora Guaidó conseguiu apoio de oficiais de alta patente que romperam com o regime bolivariano. 

Enquanto o oposicionista garante que os militares estão unidos em definitivo com ele para derrubar o governo, porta-vozes do ditador denunciam que agentes da CIA estão no país incitando revoltas nas cidades. O regime ainda tem o apoio dos governos da Rússia e de Cuba, mas não se sabe se há militares de ambos em território venezuelano.

Também pelo Twitter, Maduro postou mensagem condenando o que chama de tentativa de golpe de Estado organizado pela oposição. Um outro líder oposicionista, Leopoldo López, que estava preso por ordem do ditador, foi libertado hoje e se encontra numa base militar na cidade de Carlota.

No Brasil, o general Augusto Heleno disse que está acompanhando os acontecimentos no país vizinho na companhia do presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que ainda não tem uma informação clara sobre a situação, de como estão as forças armadas venezuelanas de fato, e que por isso o governo brasileiro não irá se posicionar agora. Vai esperar respostas do setor de inteligência da Marinha, da Aeronáutica, do Exército e da ABIN - Agência Brasileira de Inteligência.

Na cidade de Boa Vista, em Roraima, o deputado federal potiguar General Girão (PSL) está na companhia do colega Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República, onde visitaram venezuelanos exilados, e se dirigem para Pacaraima que faz fronteira com o país em conflito. Os dois passarão informações ao Planalto.