BLOG DO ALEX MEDEIROS

01/07/2019
Maduro no modo Fidel

A oposição venezuelana estabeleceu no sábado passado contato de urgência com a comissão da ONU no país assim que o advogado do militar Rafael Acosta Arévalo denunciou sua morte após tortura.

O capitão de corveta, que estava preso acusado de traição por protestar contra a ditadura chavista, se encontrava sob custódia da Direção Geral de Contrainteligência Militar da Venezuela.

"Não há palavras para descrever este abominável crime", disse o líder Juan Guaidó em sua conta do Twitter. "Dei instruções a embaixadores e representantes internacionais para elevar
denúncia aos governos e especialmente à Alta Comissionária da ONU na América do Sul, Michelle Bachelet
", concluiu.

Até agora, as mortes de oposicionistas por agentes da ditadura de Nicolás Maduro tiam sido por confrontos diretos durante as muitas manifestações que ocorrem na Venezuela. O assassinato por tortura coloca o narcogoverno no covarde patamar da ditadura comunista cubana.