BLOG DO ALEX MEDEIROS

06/07/2019
Barbie é vítima de assédio

Deve ser o primeiro caso em sessenta anos, desde que a boneca Barbie foi criada, em 1959, pela empresária Ruth Handler, a fundadora da indústria de brinquedos Mattel. Se inspirou numa bonequinha alemã chamada Bild Lilli.

Barbie se tornou sexagenária em março, as comemorações ainda nem encerraram - com lançamentos de novos modelos, acessórios e licenciamentos - e vem à tona um ataque de assédio num filme da Disney.

Isso mesmo. A notícia foi destaque ontem no diário inglês The Guardian. Os estúdios Disney decidiram eliminar do novo filme Toy Story uma cena em que duas exemplares da Barbie são assediadas pelo personagem O Capataz.

Batizado originalmente como Stinky Pete (Pete Fedido), o velhote trabalhador das minas se insinua para duas bonecas e depois reage surpreso ao perceber que está sendo filmado. A cena cortada estava no minuto 3:29 do filme.

Situação comumente ocorrida no mundo real das produções de filmes e novelas, as duas modelos Barbie escutam a promessa do velho tarado de que ambas poderão ganhar papéis importantes na terceira saga de Toy Story.

O episódio logo ganhou ligação com o caso de John Lasseter, o desenhista e cofundador da indústria Pixar, uma das empresas da Walt Disney Company, que em 2018 se demitiu após acusação de comportamento inadequado.

Ele pediu perdão publicamente: "me desculpo profundamente se os decepcionei. Peço perdão a quem sentiu-se contrariado por um abraço não desejado ou qualquer outro gesto que tenha cruzado o limite do bom senso".

Na ocasião, Lasseter foi bombardeado pelas atrizes do movimento #Metoo, criado para denunciar abusos contra mulheres de Hollywood, a partir dos assédios em série do produtor Harvey Weistein, que está sendo julgado.

Barbie surgiu por acaso, quando Ruth passeava pela Europa, em 1959, e viu a boneca Bild Lilli num quadrinho do jornal alemão Bild. Criou sua versão americana batizando-a com o nome da própria filha, Bárbara Millicent Robert.

Lançada naquele mesmo ano na Feira Anual de Brinquedos de Nova York, a nova boneca ganhou espaço no mercado e já na década seguinte era considerada um ícone fashion e uma das referências da cultura pop.