BLOG DO ALEX MEDEIROS

14/07/2019
A vovó fashion

Em 2004, os curadores do Metropolitan Museum of Art, de Nova York, divulgaram que estavam procurando peças originais para uma exposição de acessórios de vestuário, quando a historiadora da arte Iris Apfel, então com 86 anos, sugeriu emprestar algumas peças do seu guarda-roupa.

Após um mergulho nos armários e gavetas da velha senhora e uma viagem quase arqueológica às inúmeras caixas entulhadas no apartamento da Park Avenue, os organizadores mudaram de ideia e alteraram a proposta inicial.

Meses depois, já em 2005, o museu da Big Apple inaugurou uma exposição mais que restrita e inteiramente inspirada nos acessórios de moda da própria Iris, abrindo com dez peças e fechando depois com mais de oitenta.

Os manequins com o estilo meio hippie e meio havaiano pareciam ter saído de um documentário sobre o surrealismo, ou de um filme sobre os anos loucos de Josephine Baker na Paris noir da geração maldita, ou ainda de terem fugido do estúdio de Andy Warhol.

Um deles tinha casaco colorido de penas de galo e de pato, sentado no dorso de uma avestruz; outro tinha um visual de arrepiar as militantes do PETA, com estampado integral de leopardo, e segurando por uma corda o próprio felino africano.

Faltou chão no Metropolitan e então Iris Apfel retornou numa explosão midiática ao centro nervoso da moda, comentada aos quatro cantos como uma revolucionária que, na verdade, sempre foi. Sua imagem exótica, com imensos óculos redondos, inspirou designers a partir de então.

As socialites entre Nova York e Milão, de Los Angeles à Londres, começaram a imitá-la nos carregamentos de pulseiras ocupando da munheca aos cotovelos, nos colares de híbridos materiais uns sobre outros. A Ralph Lauren ofereceu um emprego.

Formada em história da arte pela University New York e com passagem pela University of Wisconsin, Iris Apfel escreveu sobre moda na juventude e enveredou pelo designer de interiores com diversos trabalhos de restauração na Casa Branca entre os governos de Truman e Clinton, por décadas a fio.

Desde aquela expo de 2005, batizada de Rara Avis, o estilo ousado desta vovó subversiva dos códigos da moda não sai das vitrines da mídia. O site de tendências WGSN lhe conferiu o prêmio de "Ícone Global de Estilo".

O cineasta Albert Maysles, que nos anos 1960 salvou para a história as imagens da primeira turnê dos Beatles na América, no filme "What's Happening! The Beatles in USA", e dirigiu o não menos histórico "Gimme Shelter", o show dos Rolling Stones em Altamont que resultou em morte praticada pelos Hells Angels, lançou em 2014 "Iris, uma vida de estilo".

Em janeiro desse ano, a atriz Nathalia Timberg interpretou Iris na peça "Através de Iris", e logo depois a vovó fashion foi anunciada como modelo da agência IMG, a mesma de Gisele Bundchen. Aos 97 anos, Iris Apfel exibe uma atemporalidade e estilo que quanto mais a idade avança, mas ela é avançada.