BLOG DO ALEX MEDEIROS

16/10/2017
Estado, uma usina de barnabés

Os dois principais perfis de brasileiros, aquele que trabalha arduamente e aquele que gera emprego mesmo roubado pelas garras da extorsão tarifária, vivem somente para sustentar a máquina do serviço público que não para de crescer.

Envolto na cultura do concurso público, o País se tornou uma fábrica de servidores com expediente em série. A sociedade pagando os prejuízos dos dispêncios e os gordos salários das castas do Judiciário, Ministério Público e universidades estaduais e federais.

Um recente levantamento mostra que os dois extremos do mapa do Brasil, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte, lideram a lista dos Estados que têm mais despesas com pessoal: 81% da receita para pagar servidores e encargos sociaisno no RS e 76% pra fazer o mesmo no RN.

Seguidos por Tocantins, 73%, Mato Grosso, 72% e Rio de Janeiro e Piauí, empatados, com 68%. Quem vai frear a máquina desgovernada, a locomotiva da tragédia futura?